Não mergulhe onde não há profundidade

Tal colocação poderia ser redundante, se não fosse por aquelas inúmeras vezes que nos entregamos a relacionamentos fadados ao fracasso.

Não estou dizendo que exista uma bola de cristal e você possa dizer com 100% de certeza o caminho que as coisas tomarão, mas com certeza a vida, as pessoas e até nós mesmos percebemos quando as coisas não vão caminhar.

Quando entramos em relacionamentos temos sempre a inocência de achar que seu querer e o do próximo é o mesmo, mas é aí que mora o risco, a gente só é responsável e sabe de verdade sobre os sentimentos de uma pessoa: os nossos.

Minha terapeuta sempre usa como argumento para as minhas decepções a criação que tive, nas palavras dela “eu fui criada para ser certinha, então quando alguém falha comigo eu sinto uma quebra de confiança”. O que ela quer dizer, no português claro, é que ninguém hoje em dia se preocupada com o outro e que, no fundo, são as minhas expectativas que são irreais.

É claro que devo evoluir e começar a ver o mundo com os olhos menos sonhadores, mas em contrapartida acredito ser importante lembrarmos que “se entregar” ao outro não é negativo, errada está a parte que usa, abusa e mente para alguém que está ali de corpo e alma.

O que quero dizer depois de tanta contextualização, é que nunca julgarei as intenções de alguém que diz a verdade, seja ela qual for.

Ninguém é obrigado a me amar, querer namorar comigo ou qualquer coisa do gênero, mas que fale tal verdade. Não terei problema algum em ter um momento de prazer se o mesmo acontecer como resultado à uma conversa franca.

Não abuse da confiança de alguém, isso é tão feio, é tão injusto. Aprender a atingir nossos objetivos sem passar por cima dos outros, devia ser matéria básica na escola.

Homens e mulheres são seres complexos por natureza, é difícil mesmo se relacionar, estudar, sonhar e fazer tudo isso de forma saudável, mas quando aprendemos a respeitar os sentimentos do próximo com a mesma intensidade que respeitamos os nossos, as coisas se tornam muito mais simples.

Não seja a pessoa que manda mensagem durante uma semana e depois some, ou que oferece rios de promessas e depois foge. Me relacionar com pessoas que fizeram isso comigo mudaram muito quem eu sou, hoje eu tenho um verdadeiro medo de me envolver, tenho medo de tudo, e como a gente vive assim?

Cansei de mergulhar em relações e depois me deparar com fim amargo e cheio de arrependimentos, você primeiro garoto que fez isso comigo me estragou, e você que fez isso por último me levou ao estado de eu desejar não existir mais. Sabe o que é desejar desaparecer e se culpar todos os dias?

Todos os dias de manhã eu tomo três de pílulas, duas de fluoxetina e uma terceira — imaginária — de coragem. E tudo isso porque mergulhei no lago mais raso de todos.

Like what you read? Give Juliane Calixto a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.