Inspire.se

Cada vez mais ouço as pessoas falando sobre estar em “bloqueio criativo”. Na falta de nome melhor, classifiquemos tal estado como falta de entusiasmo, procrastinação constante e frequente fuga de objetivo. Não necessariamente implica em falta de vontade - às vezes se dá justamente pelo oposto: o interesse por tudo, que culmina em sobrecarga e a eventual desistência do que antes interessava. E não adianta falar em inteligência emocional ou forçar exemplos motivacionais: não dá pra criar sobre pressão.

Qualquer que seja o contexto — artistas, médicos, professores, profissionais do setor público ou setor privado — , a criatividade é necessária, e cada vez mais essencial, para lidar com as transformações globais e com os desafios que surgem diariamente. Solucionar problemas de forma criativa, entregar soluções disruptivas, inovar no ambiente de trabalho, nas ruas, nas relações interpessoais e profissionais, quebrar paradigmas e transpor o convencional, em qualquer meio, passou a ser quase um pré requisito para novos projetos e investidas — e o impacto destes na sociedade e no mundo.

Mas existe inspiração constante? Talvez não, mas há como criar estímulos.

ins·pi·ra·ção | substantivo feminino.1. Movimento pelo qual se leva o ar aos pulmões. 2. Ideia ou pensamento que surge de repente; estro. 3. Insinuação, conselho. 4. Coisa inspirada. 5. [Teologia] Infusão da vontade divina na consciência humana. 6. [Música] Pausa de um quarto de compasso.

ins·pi·rar | verbo transitivo. 1. Atrair (o ar) aos pulmões. 2. [Figurado] Causar inspiração a; sugerir. 3. [Teologia] Iluminar o espírito.

Inspiração — movimento, ideia, conselho ou pausa — é pessoal. É o que faz brilhar o olho e ajuda a levantar de manhã, é aquilo que admiramos e copiamos em que e em quem nos rodeia. Está atrelada ao propósito — e aos objetivos — de cada um, o que nos conecta com o que somos e o que fazemos. A perda, mesmo que temporária, dessa habilidade, é definitivamente um sinal de alerta. Com tanta informação no mundo, por que desconectar-se justo de si mesmo?

E é aqui que nasce uma ideia. Entre um bloqueio criativo e outro. Entre conversas despretensiosas e sonhos antigos. Conectar a fonte número um de inspiração — as pessoas — através da sua forma mais remota de expressão — os livros. Buscar indicações, insights e referências de quem tem histórias pra contar, interesses pra compartilhar, exemplos pra motivar e de quem quer propagar o que foi aprendido de um autor ou outro, um personagem ou outro.

Se os livros são tão democráticos em forma, origem e conteúdo, seu acesso não deveria ser restrito. Se o livro só se realiza na leitura, deixá-lo em estantes é um desperdício de potencial, de conhecimento, de inspiração. Se cada pessoa absorve de um livro também as conexões que faz com pensamentos próprios, o diálogo entre leitores enriquece as experiências individuais. É mais um exemplo de como o todo é maior que a soma das partes, mais um esforço em promover o movimento peer to peer e criar uma rede de pessoas — e livros! — retroalimentada, que se fortalecem mutuamente ao mesmo tempo que contribuem pra sociedade e pro planeta.

A ideia é que esse projeto inspire o nascimento de outros que continuem esse ciclo de inspiração e realização que move o mundo. Que ideias boas, que são boas para as pessoas e boas para o planeta, se multipliquem e sejam exemplo para tantos, em bloqueio criativo ou não. A ponte para levar tanta inspiração — em forma de livro — pra quem quer colaborar com a rede, difundindo o acesso ao conteúdo, aprofundando a discussão e ampliando o acervo coletivo cocriado, está em construção.

E dá pra acompanhar tudo por aqui :)