Canetti e o eu que caminha entre pessoas

O conceito de massa de Elias Canetti é um dos mais interessantes que eu já estudei até agora em Teorias de Comunicação. Para ele o se sentir-se massa é uma necessidade humana, que perpassa as diferentes classes sociais. É o momento em que o homem deixa de lado o medo do contato e se despe de suas cargas individuais, afim de se sentir pertencente a algo maior.

Na massa o homem se sente “dentro de um mesmo corpo” (1996, p.12)

Agora entendo a personagem que um dia andou pelo calçadão de Nova Iguaçu, amontoados de gente, se despindo de todas as cargas existenciais e questões internas para simplesmente ser. Sentir-se parte de um corpo maior, forte e reconfortante, formado por centenas de pessoas que caminham. Na época em que eu escrevi não conseguia entender o porquê da necessidade que eu tive de, em uma segunda-feira comum, largar o que eu estava fazendo e simplesmente andar naquele caminho reto.

“Caminhei, então, entre as pessoas. Sentindo o calor humano me reconfortar e me tirar do isolamento de meus próprios pensamentos” (2012)

Hoje entendo. Todos nós precisamos nos sentir massa. Seja indo a um show e gritando junto a milhares de vozes, seja indo à igreja e se sentindo conectado a um ser transcendental, seja andando em ruas cheias. Precisamos sentir que fazemos parte de algo maior, tomar consciência da existência de outras pessoas, pois o mundo dentro de nós mesmos é deveras solitário.