Histórias que transformam

Meu nome é Júlia e estou formando em Engenharia Elétrica na Universidade Federal de Itajubá em Dezembro. Desde criança, no interior de Minas Gerais, sempre fui incentivada pelos meus pais a sonhar bem alto e a acreditar no meu potencial para realizá-los, fui uma criança e adolescente envolvida com aulas de música, dança, e inglês. Assim, me desenvolvi como alguém que sempre buscou fazer coisas novas e mudanças são coisas que me inspiram. Tanto é que nos últimos quase seis anos, morei em cinco cidades diferentes.

Em 2013, fui para Itajubá cursar Engenharia Elétrica. Lá, eu sempre procurei atividades extracurriculares que me ajudariam a me desenvolver e me preparar para o mercado de trabalho. Como o intercâmbio era meu maior sonho desde a adolescência, no meu primeiro semestre na faculdade eu procurei o coordenador do curso para conversar e entender quais eram minhas opções e quais pré-requisitos eu deveria atender para ter essa oportunidade. Foi quando ouvi falar sobre o Ciência Sem Fronteiras, e a partir disso, me preparei para em 2015 embarcar para uma experiência de um ano na Mississippi State University, em Starkville, Mississippi.

Na MSU, me matriculei em matérias de Business, como por exemplo, Project Management, Principles of Marketing e International Marketing, sendo essa última a minha preferida. Esse ano fora foi, com certeza, o de maior aprendizado e que tenho orgulho por ter corrido atrás desse sonho. Em Starkville, tive contato com pessoas de diferentes nacionalidades, e aprendi a me conectar com essas pessoas, lidar e respeitar uma cultura e suas diferenças.

Em Maio de 2016, me mudei para Pullman, no estado de Washington, para fazer um estágio de verão na Schweitzer Engineering Laboratories. Dessa vez, além das diferenças culturais, tive minha primeira experiência profissional em uma empresa Americana.

Voltando para o Brasil, participei da AIESEC em Itajubá, ajudando os brasileiros que gostariam de fazer intercâmbio social. A AIESEC é uma organização mundial de jovens que querem ajudar as pessoas e sabem do seu potencial de mudança. Meu primeiro contato com a AIESEC foi quando recebi uma intercambista das Filipinas em 2014.

Depois disso, tive minha primeira experiência com a Johnson & Johnson no projeto Embaixadores, uma parceria entre a empresa e a UNIFEI. Neste projeto, fiz parte de um grupo de oito alunos em que ajudamos a Janssen com uma proposta de otimização da paletização das caixas de embarque dos medicamentos. Além do conhecimento técnico aprendido, o que me marcou nessa experiência foi ver como os funcionários seguiam as regras de segurança no campus de São José dos Campos. Isso me fez ver como e o tanto que cada funcionário respeita e acredita na empresa. Além, é claro, do Credo, presente em todas as salas da companhia e também em nossas apresentações e projeto.

A partir disso, comecei a me preparar para a reta final da universidade e foi, com certeza, quando mais desenvolvi meu auto-conhecimento, em que tive que lidar com a ansiedade, frustrações e medos desse período. Nessa época, tive que dar uma maior atenção para conciliar o meu bem-estar, a faculdade, a procura de um estágio, e também, as despedidas. Aprendi também a reconhecer o meu limite e me permitir aproveitar meus hobbies, como por exemplo, fotografia e música.

Todas essas experiências me ajudaram a crescer pessoalmente e profissionalmente. Me tornei uma pessoa muito mais empática, e tranquila para lidar com as diversas situações e pessoas. Assim, sou reconhecida pelos meus amigos e familiares como alguém consciente, responsável e de boa convivência.

Em Julho deste ano pude escolher qual empresa gostaria de estagiar, e eu escolhi a Johnson & Johnson pela sua cultura que conheci em 2017. Hoje, sou estagiária de processos na área de Business Intelligence & Field Force Effectiveness na Janssen. Dessa vez, o que mais me surpreendeu foi a grande inclusão de pessoas com deficiência na empresa. Para mim, que tenho uma irmã especial e que isso sempre esteve em pauta em minha família, foi muito importante ver como a empresa oferece oportunidades e valoriza esses funcionários.

Além disso, nesse tempo pude participar de dois eventos e projeto muito interessantes, o treinamento Energy for Performance, TEDx J&J, e a comissão do CONECTA, que mais uma vez me mostraram que a empresa está alinhada com meus valores, e por isso, me inscrevi para o trainee J&J.

Pensando em minha carreira, tenho interesse em me desenvolver na área comercial, principalmente em uma parte mais estratégica e de grandes análises, por exemplo, marketing global. Para isso, acredito que o trainee será uma ótima oportunidade para, além de conhecer melhor as companhias da J&J, me desenvolver em liderança e ter um melhor planejamento de carreira para alcançar meus objetivos.

Além disso, esse desenvolvimento contribuirá para que eu alcance um dos meus propósitos: quero impactar positivamente a vida das pessoas, que eu possa contribuir para que elas tenham acesso às grandes oportunidades que eu tive durante meu crescimento, e que eu seja lembrada como uma pessoa que valorizou e respeitou as diferenças.

Projeto Semestral — UNIFEI e J&J
Minha Família