Carta de uma amiga sobre a paranoia

E a merda que é viver com ela.

FONTE

Não sei vocês, mas como menina e filha mais velha, sinto que fui criada atrás de uma redoma de vidro construída pelos meus pais pra me proteger do “mundo ruim”. Não que eu pense que eles tenham feito por mal, nunca isso. Porém, essa superproteção me fez procurar formas de “fazer escondido” o que para eles era considerado imoral — ou errado —, mas que as pessoas do tal “mundo ruim” faziam e achavam super normal.

O meio mais fácil de fazer alguma coisa escondida é primeiro pensar numa desculpa. Pode ser aquela amiga/o que você – na verdade – não vai encontrar ou aquele lugar que você – talvez – não vá. Depois você pensa em tudo que pode dar errado e o que fazer nessa situação.

Aí que entrou a paranoia.

A paranoia é um termo utilizado por profissionais da saúde mental para descrever um estado de desconfiança exagerada e injustificada. As paranoias são classificadas de maneira que difere as paranoias delirantes, não delirantes e persecutórios.

Em suma, depois de passar um bom tempo pensando e repensando nas coisas que podiam dar errado, andando sempre desconfiada, acabei desenvolvendo paranoia, além do quadro depressivo que eu já me encontrava. E ao contrário deste, os sintomas da minha querida amiga paranoia não podem ser remediados, ou seja, só é tratável através da terapia.

A partir disso, o maior problema que pode acontecer é o indivíduo não querer admitir ter a doença — apesar de saber muito bem que tem — e não conversar sobre ela, procurar saber sobre, nem mesmo com um/a psicólogo/a. Só vai piorando cada vez mais. E não adianta querer ignorar, fingir que não é com você, porque uma hora ou outra ele vai aparecer e pode muito bem vir acompanhado de outros problemas como a ansiedade.

O que muitas pessoas não entendem — e eu também tive dificuldade de assimilar isso — é que o psicólogo, na verdade, tá ali pra te ajudar e não para julgar seus erros ou seus feitos. Não tem razão em ter vergonha de dizer que tudo você está realmente sofrendo por causa de alguma coisa, ou está se sentindo incomodado. O psicólogo é um médico para a sua mente, não uma amiguinha/nho que você vai para contar um ou outro problema da sua vida.

Ninguém quer ter um problema pegando no seu pé, por mais que seja cômodo somente ignorar e fingir que nada está acontecendo, isso só vai trazer mais problemas no futuro. Assim como eu, todos nós temos que aceitar que precisamos de ajuda, e ajuda profissional, para lidar com certos assuntos e fases da nossa vida. Precisamos aceitar que não somos obrigados a vestir aquela “capa do superman” e dizer que nada nos atinge e que estamos bem todos os dias.


Gostou? Recomende para os amigos! E sempre que puder deixe seu comentário com críticas, sugestões ou elogios, ficarei muito feliz em saber sua opinião ;)