elya yalonetskaya’s beautiful ceramic art “for a walk”

pouco a pouco moldo a mim mesma

estou começando ainda

tenho a pressa dos perdidos

caminhos todos fundidos

num único, irreversível rio:

a vida

ainda me assusta

sou uma soma de medos

e amores

arrepios

segredos

(todos somos frutos

de equação singular

e universal)

eu sei tão pouco

ainda

há pouco

eu chorava

agora escrevo

tudo se sucede

como sempre

por puro impulso

eletrônico

molecular

quântico

(bebo na fonte

de clarice lispector

agradeço!

e estremeço)

ainda vou acordar

limpa de tudo

integrada

a tudo

feito recém-nascida

leve e sangrenta

pluma, pele

pulsação

o choro sem medo

a entrega

o assombro

a novidade sem fim

o mamar nos seios

da grande mãe…

sim!

nua

nascedoura

plena de mim

da mãe

e do pai

serei

sereia

a fluir

no mar

profundo

do infinito

elizabeth price ❤ dream on
galina bulganin ❤ the creative process
Like what you read? Give Julia De Alencar Arcanjo a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.