Too Cool For School: Conheça The Lemon Twigs

Foto: Brian W. Ferry

Brian e Michael D’Addario, 19 e 17 anos, respectivamente, mais conhecidos como The Lemon Twigs, são jovens irmãos prodígio que moram em Long Island, Nova York, com seus pais. Até aí, nada muito rock’n’roll, mas é só subirem ao palco pra percebermos que esses moleques são discípulos de todos os músicos relevantes dos anos 60 e 70.

Brian e Michael estão sempre trocando de posto durante os shows, cada qual liderando os vocais das músicas de sua autoria. Quando Michael é baterista, se transforma no filho de Keith Moon, e quando assume vocais e guitarra, evoca Pete Townshend (ambos do The Who) com sua perfomance enérgica cheia de pulos e chutes no ar, talvez vítima da “síndrome do irmão mais novo”, mas nem por isso menos divertido de se ver. Brian é a metade mais calma e madura da dupla, com sua voz mais melódica e performance centrada.

O álbum “Do Hollywood” (2016) é um grande compilado de referências de tudo o que os meninos ouviam na infância, influenciados pelo pai (o também músico Ronnie D’Addario). Das harmonias dos Beatles e Beach Boys à fusão do “all-american rock” com pop bem feito do Big Star, ao melodismo do Queen e o rock “feel good” dos Wings, aqui não existe minimalismo.

O disco abre com o single “I Wanna Prove To You”, faixa pop escrita por Brian, com letras que só um amor na flor da idade pode inspirar. Ela é só uma amostra da habilidade dos garotos em criar várias atmosferas distintas em uma mesma faixa, (o clipe, aliás, poderia facilmente ter sido dirigido por Wes Anderson), mas que se completam perfeitamente no final, fazendo lembrar, numa escala bem menor, das minióperas insanas de (novamente) Pete Townshend. O destaque fica para “These Words”, que começa de mansinho, com teclado, sintetizador e baixo meio funkeados, seguido da voz suave de Brian, e explode numa balbúrdia triunfante, digna de Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, e ainda tem solo de xilofone (sim!).

Para esta que vos fala, que aliás não é tão mais velha do que esses músicos, não tem nada mais legal do que acompanhar uma banda crescer assim, tão de perto.

A pouca idade dos meninos e o mar de referências que todo mundo já conhece é suficiente pra fazer os mais céticos torcerem o nariz, mas saiba que a banda já tem o aval de gente do calibre de Sir Elton John e Boy George. O jeito é pagar pra ver e dar uma chance, porque se depender dos fãs, essa banda não vai cair no esquecimento tão cedo. E que Mick Jagger atire a primeira pedra se nunca tentou copiar o James Brown no início da carreira.