terceiro dia -sétima morte

correr

agora ao som de sonoras risadas

ainda que ouvindo

o graves das seculares sequoias quando desabam

enfiando a pele nua no charco

abrindo os caminhos

os brotos pro brilho

gavinhas os nossos cachos

flutuando nos castanhos

do olho d'água

no silêncio da mata

o profundo acumulado

descobrimos nas ranhuras das novas folhas

o prazer nas particulares mortes

noto e anoto

na minha penúltima

micro olhos nasceram onde você me adentra

e na última falei

minha língua dividida em cinco vermelhudos estames

toda a extensão com pelagem de pólen

medonha, Monstera Deliciosa

recurvo, me enrosco de ternura

como deus que chegou no fim do dia e viu que era bom