Commoditie Carnaval

A solução pro nosso povo eu vou dar
Negócio bom assim ninguém nunca viu

Brasileiros e brasileiras, foi encontrada a solução dos nosso problemas. Diante do cenário econômico e político atual, há uma saída possível antes que o nosso amado país entre em colapso.

Esqueçam os economistas contemporâneos, ignorem os comentaristas da TV, os clássicos já tinham a resposta há muito tempo, o que nos faltava era autoconhecimento.

David Ricardo e sua Teoria do Valor são simples, devemos investir em nossa vantagem competitiva.

Os ruralistas dirão : “ vamos plantar soja, nessa terra em se plantando tudo dá”. Não poderiam estar mais errados, soja desmata, nem é gostoso e o que dá com facilidade nessas terras é outra espécie.

Precisamos de mais valor agregado, não podemos entregar produto tão bruto, é preciso refino, é preciso arte, é preciso técnica.

Os nossos amigos da FIESP dirão, o Brasil precisa de indústria, vamos lá brigar pela nossa reserva de mercado. Pobrezinhos, indústria cheira tanto a café e perdemos nossa vantagem rapidinho até algum país flexibilizar (ainda) mais as leis trabalhistas. Somos melhores que isso, né?

O que o país pode fazer, onde reside o seu verdadeiro potencial é na arte de festejar. Não falo isso com a intenção de repetir clichês, “aqui é só festa”, “ninguém trabalha”, “ se o povo saísse na rua pra protestar ao invés de pular carnaval o país seria outro”.

O que esse texto pretende é constatar o óbvio, aceitar a realidade do que está posto.

Pode não parecer, mas já estamos em março, o que significa que estamos na metade do primeiro semestre, um quarto do ano já passou. Desde o dia 01, que já começa em festa do ano anterior, que eu ainda não vi um fim de semana de paz.

Dia após dia, fim de semana após fim de semana, só passam pessoas com glitter e pouca vergonha na cara de um lado pra outro. Sem contar que no Facebook tenho convite de evento até o fim do mês.

Gente, carnaval já passou. Não precisamos nos enganar dizendo que estamos comemorando carnaval, porque não é. O grande tema da festa é o fazer a festa em si mesmo. A arte pela arte, amar o amor.

É de um refino ontológico além da nossa compreensão.

Por isso humildemente sugiro essa como a solução dos nossos problemas. Cooperação técnica de fazer festa. Ser pago pelo mundo para ensinar a como festejar sem motivo, a como se purpurinar na rua, a como seguir blocos que levam do nada à coisa nenhuma.

O primeiro teste pode ser na Alemanha. Lá é bom que não precisa fazer o esquema 3 skols por 10 reais e isso só valorizaria nossa festa. Poderíamos usar a Oktoberfest (dá tempo, ainda temos uns meses de carnaval + 3 meses de festa junina).

Podemos usar como case de sucesso a Oktober de Blumenau, que eu nunca fui, mas tenho fé de que deve ser mais animada que a de Munique. Mostramos o nosso potencial, exportamos o modelo de negócio e o país vai finalmente deixar de ser um exportador de commoditie para finalmente ter alto valor agregado em seus produtos.

Diz aí se não é bom negócio?

P.S.: essa ideia foi feita em co-criação a caminho de um bloco que nunca chegou a se concretizar.