Escolher um novo colaborador não é como escolher um tomate na feira!

Toda semana muitas pessoas vão para a feira para fazer suas compras de legumes, de frutas, de temperos e dos acompanhamentos para uma boa refeição para si e para suas famílias.

Ao escolher os produtos, todos temos um “jeitinho” de fazer a seleção de acordo com os critérios que temos como certo ou que herdamos de nossas mães desde a infância.

Alguns escolhem de forma minuciosa, considerando vários critérios e se possível, com o menor preço.

Alguns pegam o que estiver na frente e o que for mais fácil. Dizem que já tem macetes e batendo o olho já sabem qual escolher.

Alguns não escolhem, confiam na palavra do vendedor. Nem sequer olham o que estão levando dentro das sacolas.

Mas, afinal de contas, o que isso tudo tem a ver com escolher um colaborador novo para a empresa?

Muitas coisas em comum! Mais coisas do que as pessoas imaginam.

Ao escolher um novo colaborador para a empresa, não podemos simplesmente colocar um anúncio no jornal e escolher o primeiro candidato que envia o seu currículo para a empresa. Precisamos considerar alguns critérios antes de fazer a contratação do novo colaborador.

Separamos alguns pontos:

  • A contratação é realmente necessária?
  • Que tipo de pessoa, a empresa está precisando?
  • Que funções irá exercer? Isso está bem detalhado num documento?
  • Qual o contato dela com as outras pessoas? Como são essas pessoas?
  • Considerando funções, trabalho com a equipe e expectativas, que características pessoais ela deve ter?
  • E quais competências e habilidades técnicas precisará ter?
  • Se ela desenvolver bem a função, há possibilidade de crescimento na empresa?
  • Qual o valor da remuneração? É compatível com a função? Tem diferença com os outros membros da equipe, onde ela irá atuar?
  • Agora para fechar, qual é o perfil desenhado desta pessoa? Desde a descrição física, de personalidade e de conhecimento profissional?

A maior parte das empresas não se preparam para o momento da pré-contratação, ou seja, nenhum dos pontos acima são verificados ou pensados antes de se iniciar o processo. Nem ao mesmo sabem se realmente precisam fazer a contratação ou qual o perfil, que realmente precisam. É a mesma coisa que ir para uma feira sem uma lista de compras e sem saber o que irá cozinhar para a semana. Compra-se coisas a esmo, pois não sabe o que irá fazer, do que precisa e se realmente precisa.

Outros exageram no processo de seleção e esquecem que o nível de exigência precisa estar compatível com o cargo, a função e a remuneração oferecida. Como no nosso exemplo da feira sobre aqueles que escolhem minuciosamente, sendo super exigentes e, em sua grande maioria, querem pagar o mesmo valor da chepa.

Alguns batem o olho e dizem: “Gostei!” e pronto! A pessoa está contratada! Entendemos que a primeira impressão é a que fica, mas será que este pode ser um critério tão eficaz assim? Já vimos ótimas pessoas com experiências de trabalho super agregadoras, mas que não foram contratadas, porque a primeira impressão não foi boa. Quem nunca escolheu um tomate lindo na feira e quando chegou em casa descobriu que apesar da beleza do lado de fora, estava todo estragado por dentro? Pois é…

E tem pessoas, que não se envolvem na seleção, o que prejudica bastante o processo, pois há grandes chances de retrabalho na contratação por ser um tiro no escuro, por ser algo colocado em nossa sacola, que nem ao menos sabemos o que é.

Por isso, afirmamos que analisar a forma como estamos fazendo as novas contratações na empresa é essencial para se ter sucesso e nada de retrabalho com o início de um novo processo. A pessoa virá para ocupar um cargo, uma função, terá obrigações e deveres, passará mais de 8h diárias dentro da empresa, irá se relacionar com os outros membros da equipe, será responsável, mesmo que em parcela mínima, para que a empresa cresça.

Portanto, não podemos contratar uma pessoa como se escolhe tomates numa feira. Claro que não! Temos que ter critérios compatíveis, devemos nos envolver no processo, temos que nos preparar para essa nova contratação e escolher a A PESSOA CERTA para a necessidade da empresa.

Tudo isso envolve brainstorming, levantamento de critérios, planejamento, tempo e paciência para que o processo de seleção seja bem feito. Ah, e claro pessoas com conhecimento na área de seleção e recrutamento!

Boa seleção!

Nos acompanhe no : http://qiconsultoriacoaching.com.br/