Entre, Ansiedade.

O problema da Ansiedade não é ela por si só. Apelidaram-na de ‘o mal do século’. Acho uma injustiça com ela. Mais ainda mais com a gente mesmo.

Porque ansiedade também é energia. Não como aquela energia controlada facilmente por um interruptor de liga/desliga. Mas uma energia descarregada por raios numa tempestade, que precisam ser direcionados por para-raios estrategicamente localizados.

Ela tem um jeito peculiar de ser. Não é a toa o apelido pejorativo. Coisa bonita é que não é, e pode dar medo. Nem cheirosa, nem educada, muito menos discreta. Mas assim como eu e você, a Ansiedade também tem suas características interessantes por trás das feiuras.

Além de tudo, ela é inconveniente. Raramente se dá o trabalho de bater na porta antes de entrar.

“Oi, Ansiedade. Você por aqui de novo… Olha, como você não me avisou que viria, eu não me preparei para sua visita. Como você pode ver, estou a cara da derrota, e a casa está de pernas pro ar. Mas sei que você ficará o tempo necessário para fazer o que precisa fazer. Eu te ajudo, assim a gente termina logo.”

Às vezes a ansiedade acaba fazendo junto comigo a faxina do ano, experimentando novas receitas com novos ingredientes. Outras vezes ela decide aumentar o repertório de cultura, assistindo filmes, lendo livros e descobrindo músicas. Pode ser que ela escreva redações, faça artesanato, aprenda a tocar pandeiro, comece aquela reforma. Às vezes ela precisa ajudar a tirar o atraso no trabalho, faz horas extras e resolve pendências da década passada.

Claro que ela precisa de alguém com o mínimo de bom senso. Ela é um tanto egoísta, e se esquece facilmente que tenho um corpo que precisa sobreviver através de nutrição, sono e necessidades fisiológicas. Esse equilíbrio é difícil de se manter. Às vezes eu vou na conversa dela, e me deixo ser influenciada.

Mas assim como a chuva cansa de chover, a tristeza cansa de entristecer, a ansiedade cansa de ansiar. É quando a tranquilidade começa a tranquilizar, até que ela se canse de novo.

Enfim. Sabemos das tragédias causadas por acidentes com raios. Mas sabemos também que existem meios de se prevenir. E assim como a energia dos raios, a energia da ansiedade não é possível de ser armazenada. Não dá muito tempo para pensar, elaborar, refletir por longos períodos para aproveitá-la da melhor maneira possível. Ela é impaciente, não te espera. Se quiser vir bem, se não, amém.

Perdeu a oportunidade de aproveitá-la?

Fique tranquilo. Ela volta.

(Sobre ansiedade. E não depressão, transtorno de ansiedade generalizada, síndrome do pânico, transtorno obsessivo compulsivo, fobia e outras doenças.)

Like what you read? Give Juliana Matsuoka a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.