uma foda molhada

Recebi uma mensagem. “Vou estar aqui na cidade só até amanhã de manhã, vamos nos ver.” sem hesitar, pedi pra que ele viesse logo. Disse que estava vindo correndo de bicicleta. Aqui Já não dava pra aguentar o tesão e a mente criativa de uma noite tediosa de domingo. Bastou alguns minutos pra ansiedade atacar. Agarrei minha bicicleta, joguei a blusa jeans no corpo e fui de encontro. Detalhe, estava chovendo pra caralho.

Depois de de várias voltas pela quadra, lá estava ele, encharcado, não muito diferente de mim.

“Espero que tu compense bastante o que acabou de fazer comigo”

Ele sorriu meio de lado e disse “pode deixar”

Assim que chegamos aqui em casa, eu fui tirando a blusa e enxugando o cabelo enquanto observava seu corpo. A pele escura molhada, suas tatugens a mostra.. confesso que viajei naquele corpo por horas. Eu não sei se foi o baseado que a gente fumou ou a vontade de foder que deixou o clima muito mais propício a um sexo na sala, mas sei que rolou. Foi foda, foi gostoso e era exatamente o que eu estava precisando naquele dia. Espero que as noites de domingo sejam sempre tão prazerosas quanto essa.

Like what you read? Give Juliana Passos a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.