Assimetria

Nós apenas gostamos da chuva quando temos o conforto e a tranquilidade de esparramar-se sobre limitados travesseiros. E no presente momento, nunca quis tanto que o verão chegasse. Particularmente, nunca gostei de calor, suor e todas as suas reticências, mas agora é diferente. Tudo é diferente. Mesmo que teu nome ainda esteja escrito na parte interna da porta do meu guarda-roupa, rodeado por corações que desenhamos uma semana depois.

Você adorava o inverno. Na verdade, acho que ainda gosta. Mas limito-me em conjugar o verbo no passado a fim de aceitar a triste melodia dos pingos de chuva que escorrem sobre o telhado até o chão há aproximadamente quatro dias. Eu adorava a chuva. Na verdade, não há poréns. Conjugo o verbo no passado a fim de aceitar uma das mais dolorosas mudanças de opiniões que tive nos últimos tempos. Quando você se foi, levou as doces manias das quais durante longo período me fez ver o mundo de um jeito tão esperançoso.

Tento fugir da hipocrisia de dizer que tentei seguir em frente. Porque ainda estou preso a você e assumo com tamanha naturalidade, como quem ainda não recolheu do armário toda aquela roupa de inverno em pleno mês de fevereiro e sempre finge que não se importa com tamanha bagunça.

E aqui estou eu, no meu primeiro inverno sem você. As gotas de chuva não soam mais como antes e ouvi-las não tem mais a menor graça. Especialmente porque você não está mais aqui para me pedir silêncio enquanto eu acabava gargalhando observando tamanha atenção a um fenômeno tão simples.

Não há mais tranquilidade e não tenho o menor apreço pela chuva. Mas mesmo hoje sendo terça-feira e adicionando a lista o fato de que meu chefe ligou três vezes na última hora, continuo aqui. Porque a chuva sempre será sinônimo do teu perfume.

Queria eu desprender-me de toda essa melancolia mas é algo que no presente momento se faz totalmente impossível. É como se eu devesse permanecer aqui, imóvel, pensando em você até a última gota de chuva. Até você parar de transbordar aqui dentro e lá fora. E enquanto superloto-me de você, a moça do canal 4 diz que a chuva deve parar lá por sexta-feira. Mas continuará chovendo aqui dentro.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.