Depressão de domingo

A ideia de dividir o tempo em semanas, meses, anos, foi genial.

Eu sempre gostei de segundas-ferias. Sério. A segunda-feria é aquele dia que pode ser ótimo. Claro, a ideia de segunda-feira é péssima, mas a segunda em si não permite aquele tempo para crises existenciais.

Segunda-feria é aquele dia que você tem a possibilidade de recomeçar. Um dia específico onde tudo que você fez de errado pode ser apagado e você tem uma data no calendário, pra tentar de novo. Por isso existem resoluções de ano novo, por isso todo começo de mês parece uma nova chance, e por isso a gente sempre tenta começar os novos planos na segunda-feria.

Claro, é uma droga ter que acordar cedo, ir pro trabalho e começar a semana de novo, nessa rotina sem sal que pode ser a vida, mas essa perpétua possibilidade de recomeço parece trazer uma esperança extra aos dias repetitivos e rotineiros.

No entanto, antes da segunda-feria, vem o domingo. O domingo, por si só, deveria ser o melhor dia da semana. Claro, sábado pode ser um dia ótimo, mas, na teoria, domingo deveria ser melhor. Você normalmente não tem nada pra fazer e pode relaxar. Seja passar o almoço com a família, dormir até às duas da tarde, ficar o dia todo no sofá ou ir pra piscina com os amigos. Domingo era pra ser um dia de descanso, para recarregar as baterias pra semana que começa.

Só que, pela minha experiência, domingo se tornou um dia de crises existenciais, de ansiedade e de tédio. Seja a crise pela cagada feita na balada na noite anterior, a ansiedade pelas coisas que tem que ser feitas no dia seguinte ou pelo simples fato de não ter nada descente na TV.

Mas, mesmo com a Netflix surgindo parar preencher nossos dias de tédio,domingo continua a ser sinônimo de desânimo. Dia de pensar nos amores perdidos, nas viagens não feitas, das crises de auto estima, no emprego que você quer largar mas não pode. Dia de sentir vontade de ligar pro(a) ex, só pra sentir um pouco de conforto emocional.

O que faz o domingo ser um dia tão angustiante? O causa essa depressão semanal com dia marcado?

Todo mundo está com aquele cansaço estranho que fica no corpo depois de dormir demais, aquela preguiça de tirar o pijama e aquele peso no estômago de ter comigo mais do que deveria.

Claro, pode ser aquele sentimento de ter que voltar ao trabalho, pra labuta diária que é a vida. Mas, o pensamento de que os dias de descanso acabaram não é o bastante pra preencher um dia inteiro. Então, nós fazemos as horas vagas serem horas pra pensar em tudo que não foi realizado nessa vida corrida que todo mundo leva.

O domingo se tornou o dia da depressão momentânea geral. Onde todo mundo tá se sentindo meio pra baixo, então ninguém tem energia pra animar os outros. Eu me pergunto se sempre foi assim, ou se isso é um reflexo da nossa vida moderna, onde todos os momentos tem que ser aproveitados ao máximo, inclusive os momentos feitos pra relaxar.

Nossas cobranças pessoais alcançaram níveis inatingíveis, então, quando não estamos vivendo ao máximo, não conseguimos aproveitar o que está acontecendo e entramos em crises existenciais em espiral.

É hora do domingo voltar a ser, ou começar a ser, o que o é pra ser.Um dia de paz de espírito, calma na alma, no corpo e na mente. Um dia de desligar as questões sobre o universo e todas as coisas e aproveitar as pequenas vantagens de um dia todo pra você.

Os problemas da segunda, são da segunda. Não adianta ficar remoendo-os agora. Os problemas da vida não vão se resolver com você sentado no sofá sofrendo em silêncio por antecipação.

Desliga esse estresse, liga pra seu melhor amigo e vai ver um filme. Aproveitar o sol, ir tomar um açaí, ficar sentado na calçada de casa conversando sobre nada, como quando você tinha 14 anos. Para de pensar e vai ver aquela nova série ótima que todo mundo tá falando, e aproveitar um tempo só com você.

É hora do domingo ser o melhor dia da semana.

Like what you read? Give Juliana Rosolen a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.