Carta para o futuro do pretérito

Oi Gabi, é a Ju. Você já está tão grande que eu nem consigo mais te chamar de Biba. Parece que esse apelido ficou no passado, quando você era uma menininha linda de personalidade forte e cabelo cacheadinho que a gente ia visitar. A Gabriela de hoje é quase adulta, o cabelo está mais liso e a personalidade não mudou. Essa semana eu completo 26 anos e você fez 17. Eu me pego pensando em você diariamente. Na sua vida, nas suas escolhas, na sua visão de mundo. Quando eu tinha 18 anos a Internet era popular, mas lá em casa ainda era "discada". Não existia Facebook, não existia "like", não existia "selfie" e ninguém te falava "que linda!" "tá gata!" "maravilhosa" quando você mudava a foto de perfil. Ninguém te endossava publicamente. Os relacionamentos eram mais particulares e a gente tinha que lidar com os sentimentos como se estivéssemos sozinhos no mundo, sofrendo em singular. Eu gosto de ter vivido naquele tempo e consigo enxergar as consequências dele na minha personalidade. Mas ninguém nunca me preparou para as coisas simples da vida.

Na semana do meu aniversário, venho pensando muito na adolescente que fui. Acho que era melhor lá do que sou agora e isso porque eu era sozinha e tive que enfrentar as coisas com a cara e a coragem. Ainda bem que as coisas mudaram e que agora eu posso escrever essa carta pra você e tentar te transferir um amor incondicional e um carinho enorme através de 10 conselhos(e uma menção honrosa). Estou muito ansiosa para ver a mulher legal que você vai se tornar.

1- Tente viver os dias devagar. Viva a vida de modo que você se lembre de tudo 10 anos depois. E se não lembrar de tudo, que se lembre dos momentos sozinha ou de uma conversa bonita. Depois de um tempo, essa fase maluca parece uma sombra de uma memória boa, mas é na verdade uma parte importante na formação da sua personalidade. Quando você estiver passando pela crise dos 27, vai tentar lembrar como era quando tinha 17 e é importante saber que aquela pessoa existiu. Pega leve.

2- Ouça música. Todos os dias, de preferência no escuro e sem o celular na mão. Era isso que eu fazia durante a semana e essa mania me proporcionou os momentos mais pacíficos da minha vida. Naquela época eu ouvia Arcade Fire, Ash, Modest Mouse, Built to Spill e Death Cab for Cutie quando estava de bom humor e The Clash, Ratos de Porão, Nirvana e Bikini Kill quando a sua vó e eu brigávamos. Em todas as vezes eu chorava, de alegria ou frustração, e isso me fez mais humana. Brigar é bom porque faz você perceber que está sempre aprendendo, sempre deixando pra lá.

3- Prepare-se para o fim das coisas. Nós podemos viver a vida inteira esperando pelo fim do mundo e nunca ver ele chegar. Mas nesse meio tempo, eu te garanto que um monte de outras coisas vão terminar e tudo bem. É assim que a vida anda e se renova. Alguns fins serão dolorosos e parecerão o fim dos dias, mas passa. Pesa no peito, na alma, às vezes no bolso. O peso a gente carrega a vida toda, com uma coisa ou outra, mas a dor passa. Te prometo que passa.

4- Tenha muitas amigas. Você com certeza já ouviu alguma menina falar "eu prefiro ter amigos homens". Normalmente é pela atenção que elas querem. Aquela atenção meio tonta e passageira de adolescente. Meninos são ótimos, mas são bestas. Muitas vezes eles confundem as coisas. Isso é tão comum que eles criaram um termo e esse é o conselho 4.1: FRIENDZONE NÃO EXISTE. Ter amigas é ter irmãs pra vida toda. Elas vão te ajudar quando aqueles fins parecerem mais pesados do que você consegue lidar. Elas vão entender suas dores, vão te respeitar e vão te fazer gargalhar. Amigas são de ouro. Segure-as por perto, sempre!

5- Ser legal é legal. Se você assistir aos filmes certos (John Hughes, vai lá procurar) vai perceber que ser legal é melhor que ser bonita ou popular. Seja legal com as pessoas. Seja gentil, respeite os outros, não tire sarro de ninguém. É muito feio. Ninguém acorda de manhã e pensa "hmm, tomara que alguém ria da minha cara hoje." Não importa o contexto da risada, ser maldoso nunca vai te fazer dormir melhor à noite. Todo mundo gosta mais da menina legal. E se perceber que está em um grupo de amigos que não valoriza isso, vaze!

6- O que nos leva ao: Seja verdadeira com você mesma. Quando você começar a trabalhar, vai perceber que muita gente vai te tratar mal, serão egoísta com o conhecimento que têm, vão querer mostrar que sabem mais, podem mais. É assim que funciona e talvez isso mude no futuro, mas por enquanto vai continuar sendo assim. Não caia nessa: encontre um grupo de pessoas que acredita na dica #5 e aproveite cada segundo com eles. Outra coisa: sempre saia pra almoçar. Comer na mesa porque tem muito trabalho é horrível. Eu já fiz, todo mundo faz, mas não faça não!

7- Você não é tão inteligente quanto pensa ser. Ninguém é! Tem que continuar aprendendo, humilde como se tivesse 1 ano tentando aprender a andar enquanto caga nas próprias calças. Eu bato cabeça todo dia tentando entender as coisas mais simples da vida. Minha mãe faz o mesmo, com 70 anos de idade. A gente tá sempre aprendendo, se não estivesse, qual seria o sentido de acordar todos os dias, né?

8- Que me faz lembrar... Continue aberta a novas experiências. Sua mãe deixou lá em casa um almanaque da Abril e eu lembro que aprendi sobre Napoleão Bonaparte e sobre a cobra aquática. Foi ali que entendi a importância da curiosidade pra vida inteira! No começo você lê o que gosta e depois de um tempo entende o valor de ler para aprender, sair da zona de conforto, ler biografias, enciclopédias, livros de física, teoria política e ir sempre além. Vai ser chato de vez em quando, sempre é. Na faculdade então, vai ser bem chato. Mas passa também, como absolutamente tudo na vida. Veja filmes que nunca viu, aprenda novos idiomas e sempre questione o status quo.

9- Por isso, lembre-se: "É assim que as coisas são feitas" não é uma razão boa o suficiente. Se alguém um dia te der essa razão para justificar qualquer coisa, questione. Se todo mundo aceitasse isso como motivo para as discussões, nós ainda estaríamos sendo puxadas pelos cabelos pra fora da caverna. Se você pode mudar alguma coisa, tente! Espero que consiga :)

10- E se não conseguir: Seja gentil com você mesma. Feche o Facebook, largue o celular, vai caminhar sozinha, esfrie a cabeça, tente de novo. Não escute pessoas de 21 anos dizendo "ah, eu tô velho". Não está, não. É sempre hora para se reconstruir, começar do zero, reaprender alguma coisa. Não cobre o impossível, mantenha as expectativas sempre realistas e entenda que a vida não aconteceu para servir seus propósitos. Às vezes não era pra ser, e tudo bem. :)

Menção honrosa:
Seja feminista. Pesquise, procure a história, leia Simone de Beauvoir, e Silvia Plath e ajude outras mulheres. Confie nelas, apoie elas, ame elas. Não julgue, não xingue. A nossa vida já é difícil demais para nos virarmos umas contra as outras.

Te amo.

Seja feliz!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.