19

Eu tinha 16 anos quando você me disse que a vida contigo seria mais fácil se eu já tivesse 18. Boba, eu, mal esperava pela idade em que eu me tornaria teoricamente adulta. Hoje eu tenho 18+1. 19 invernos. 19 anos mal gastos. 3 anos que eu não falo com você, de perto, praticamente. Que mulherão da porra! disse você na última vez em que nos encontramos, no ano passado. Fui direito no espelho do bar me olhar, eu nem me reconhecia. Em contrapartida, você estava igual. O mesmo cabelo, apenas mais comprido, o sorriso sardônico de sempre, os olhos maldosos e risonhos. Magro. Hoje eu parei pra reler nossas conversas, rasas, coitadas. A admiração que eu tinha de você nasceu de inventar e cultivar alguém que na real (oficial) não existia. Tu sempre foi um espectro que me rondava. Alguém que eu idealizava, queria, esperava, ANSIAVA. Meu cavaleiro do cavalo branco, pronto pra resgatar dos males do mundo! Boba, eu, que sempre acreditei em contos de fada e histórias, que assim como a sua presença, não mais do que fictícias.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Julia Carolina’s story.