O Fim do VSTS! Conheça o Azure DevOps

E ai pessoal, tudo certo?

O Post de hoje, é sobre um assunto muito importante para todos nós. Como vocês puderam ver no titulo desse post, uma mudança muito grande está acontecendo no VSTS, hoje, dia 10/09/2018 a ferramenta está sendo renomeada para Azure DevOps.

Porque dessa mudança? Bom, por muito tempo, a plataforma de DevOps da Microsoft ficou vinculada ao Visual Studio, e consequentemente, ao .Net Framework, entretanto, o VSTS já suporta a muito tempo trabalhar diversas linguagens e plataformas, por exemplo, podemos trabalhar com projetos Java, ter o processo de CI sendo executados em Linux ou Mac, e da mesma maneira o Deploy, você pode realizar seu deploy para qualquer ambiente, em qualquer plataforma, e para qualquer linguagem. Apesar disso, pelo nome ser Visual Studio Team Services, a ideia sempre permaneceu “amarrada” ao Visual Studio para quem vê de fora, sempre tivemos uma dificuldade muito grande em falar sobre VSTS em comunidades Open Source por exemplo.

Um dos principais intuitos dessa mudança, é justamente esse, é tirar esse vinculo com o Visual Studio e com o .Net Framework. É claro que as integrações continuam funcionando da mesma maneira, entretanto, isso vem para dar um novo ar para a ferramenta.

Com essa atualização, as funcionalidades da plataforma foram “separadas” para que possamos trabalhar cada vez melhor nossos cenários de DevOps. As divisões foram realizadas conforme a imagem acima, onde temos:

  • Azure Boards, onde você pode gerenciar seus Backlogs e suas Sprints
  • Azure Pipelines, onde você pode gerenciar todo seu processo de CI/CD
  • Azure Repos, onde você pode trabalhar com seus repositórios GIT
  • Azure Test Plans, onde você pode trabalhar com seus testes
  • Azure Artifacts, onde você irá armazenar seus pacotes do Package Management, e também de seus processos de CI/CD

Agora, com isso em nossas contas do Azure DevOps, podemos trabalhar da melhor maneira para nossos projetos, como por exemplo:

  • Azure Repos para nosso repositório
  • Trello para nossos Backlogs
  • Jenkins para nossos processos de CI/CD
  • Azure Artifacts para nossos Pacotes e Azure Test Plans para nossos testes

Isso nos abre um leque muito grande de possibilidades para nossos cenários de DevOps, onde temos total liberdade de escolher a melhor maneira de trabalho, seja utilizar toda a Stack do Azure DevOps, com uma experiência totalmente integrada, ou mesmo, utilizando as partes que fazem mais sentido para nossos projetos.

A Microsoft já a algum tempo, vem se posicionando fortemente na área de Open Source, e no Azure DevOps não foi diferente. Já a algumas semanas, quando ainda era chamado de VSTS, foi liberado na plataforma a possibilidade de criar projetos públicos, para mantermos projetos Open Source também no Azure DevOps, como você pode ver neste outro vídeo do meu canal.

Como a Microsoft está engajada nos projetos Open Source, ela está disponibilizando nos projetos públicos, 10 pipelines (execuções paralelas) de CI/CD, com minutos ilimitados, ou seja, se você mantém um projeto Open Source no Azure DevOps, agora, você pode ter todo o processo de CI e CD desse projeto, gratuitamente!!

Bom, como é de conhecimento geral também, a Microsoft atualmente é proprietária do Github, e não poderia deixar de integrar os Azure Pipelines também com o Github.. \o/ E sabem oque é o mais legal? O beneficio dos Pipelines gratuitos para projetos Open Source, se estendem também ao Github, então, se você mantém seu projeto Open Source no Github, não é necessário movê-lo para o Azure Repos para ter acesso ao Beneficio, basta acessar o Marketplace do Github, pelo link: https://github.com/marketplace/azure-pipelines , e habilitar o Azure Pipelines em sua conta.

O Azure DevOps veio para mudar o mercado, crie sua conta hoje mesmo e venha conhecer melhor essa poderosa plataforma de DevOps.


Originally published at Julio Arruda | MVP.