Pôr-do-sol na Rua Pereira da Silva, em Laranjeiras/RJ

Sobre MeDiTAR. Sobre ObSERvaR

Como simpatizante de filosofias orientais, estudo o budismo de Nitiren Daishonin, filosofia humanística presente em 192 países. Segundo esta tradição, uma vida feliz passa pela construção de três virtudes humanas: fé, pratica e estudo.

Ou seja, fé, é acreditar em nossa capacidade de poder; praticar, é meditar uma, duas ou mais vezes ao longo do dia, estar em contato consigo; e estudar, é ter acesso a obras de autores variados, de preferência humanistas.

Um dos desafios de quando se inicia uma nova atividade — física ou intelectual - é dar continuidade ao processo, o que pode ser chamado de treinamento. Estabelecer metas, avaliar resultados, obter conclusões.

Estão, como um estudante aplicado, duas vezes ao dia, sento-me, em uma cadeira com a coluna ereta, de frente a um objeto de observação chamado Gohonzon, um pergaminho que é uma obra de arte.

Nos primeiros treinamentos, eu colocava o relógio em contagem regressiva, por exemplo, 30 minutos. E depois ficava distraído, pensando no tempo, esperando o relógio apitar o final do exercício. Quanto menos distração, melhor.

Então, atualmente, disparo o cronômetro e recito o mantra Nam-Myo-Rengue-Kyo, seguidamente. Nos momentos iniciais, é o tempo de ajeitar e corpo, lidar com a irritação, incredulidade, com aquela dorzinha chata, buscar o equilíbrio. O olhar, vez por outra, desvia do objeto de observação.

Ao poucos, com o treinamento, passo a passo, sinto meu corpo em equilíbrio, em paz. A leveza com que as respirações fluem, expirar e expirar profundamente; a sensação de tranquilidade sobre todo o corpo; e a vitalidade que a atividade desperta, me tornaram um adepto da prática, há dois anos.

E quanto mais se pratica, menos tempo é necessário de meditação. Ambíguo, não? Mas é assim mesmo. É o chamado caminho do meio, segundo esta mesma tradição. Seria algo como "nem tanto ao céu, nem tanto ao mar".

Um abraço,

Julio Ricardo Menezes Silva
Jornalista, Fundador da Rede Cariocas Orgânicos.