O tal do Uber.

Chegando em SP para o evento Campus Party fiquei pouco indeciso quanto ao meio de transporte. Não tenho conhecimento por aqui, então tirando possibilidade de mêtro ou derivados. Me dirigi ao guichê mais proximo de um táxi. Uma mulher com cara de poucos amigos me cumprimentou, fiz o questionamento quanto saíria uma corrida até o centro de exposição Anhembi. Ela bem que me olhou, ainda com cara de poucos amigos e me deu uma estimativa de valor. Mal sabia ela que não queria estimativa, queria valor exato.

Estimativa do valor era de em torno de 30 reais.

Eu cheguei a comentar que a distância do local onde eu estava para onde gostaria de ir era em torno de 3 kilômetros?

Tudo bem. Vamos analisar friamente as informações. Estava eu em SP e precisava me locomover da estação rodoviária para o centro de exposição anhembi, qual tem em torno de uma distância direta de 3kilômetro. Foi me dito que seria cobrado uma ESTIMATIVA de valor de 30 reais por isso.

Por uma fração de segundo fiz alguns cálculos e retornei um indagado obrigado para tal mulher com cara de poucos amigos.

Então decidi me dar oportunidade de experimentar o serviço Uber. Eu já havia instalado o aplicativo em meu mobile, porém, nunca utilizado.

Com apenas 5 cliques no máximo, apenas informando meu local e local de destino e qual cartão descontar o pagamento o Uber me informa que um veículo já estava vindo ao meu encontro, não só informando mas também mostrando localização do veículo e distância do veículo até mim. Me deu informações do veículo e do motorista, junto com nome e foto, achei sensacional.

Ao veículo chegar me deparei com o sujeito da foto, este sim com rosto de bastante amigos, logo me chamou pelo nome e se apresentou, desceu do veículo e foi de encontro com minhas bagagens, demonstrando total respeito por minha condição e necessidade.

Ao adentrar o veículo o mesmo se apresentou e me ofereceu água e as tais da balinha, com uma educação exemplar. No veículo havia cabo USB para recarregar meu celular, qual eu precisava muito por ter feito uma viagem longa e a bateria estar por volta dos 40%. Infelizmente o cabo USB dele disponível não funcionou no meu celular, qual é última geração. Vi na feicão dele a decepção, repetiu várias vezes que iria providenciar o cabo para futuros clientes e se desculpou. Tivemos uma conversa civilizada sobre o Uber, taxistas, ele me contou sobre sua profissão que antes do Uber era mecânico e que um amigo recomendou o serviço. Expressou felicidade pela oportunidade de estar trabalhando com Uber e poder fazer seu próprio horário. Detalhe, ele era Uber por 2 semanas. Imagine uma conversa civilizada e diferente da mulher lá traz do táxi, lembra? Não tinha rosto para poucos amigos. No meio da conversa ele oferece novamente a agua e a bala, perguntando se ja havia oferecido. Sensacional o tratamento.

Talvez por ser um serviço onde os clientes classificam diretamente o motorista/serviço sem os tais de SAC o torna tão sensacional.

Mas enfim, para finalizar essa breve história vou chegar nos miseros reais que me foi cobrado por esta viagem: 13 reais.

No final recebi o relatório da trajetória feito pelo motorista e o pedido de classificação, tudo rápido.

Para finalizar deixo ressaltado que não é questão de valores (também) mas por questão de humanização de um serviço, qual traz um nível de qualidade para este mercado.

Ouvi rumores que os taxistas estão correndo atras do prejuízo e melhorando o serviço, pois bem, fico feliz. Torço para que o mercado seja humanizado e o tratamento pessoal melhorado, independente que seja Uber ou Taxi do João.

Fica Uber!

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Carlos Eduardo’s story.