Analisando (e julgando) os outros pelos seus Facebooks

É bem bonito ver alguém vivendo por algo sem se importar com o que os outros pensam/dizem sobre. Eu acho maravilhoso.

Na minha missão na terra de julgar as pessoas só me disponho a acompanhar. Com muita inveja. ~Branca~, calmem!

O facebook é uma das ferramentas que mais me ajudam nisso.

Numa pequena live, a partir do meu facebook, vou mostrar como imagino a vida de cinco pessoas.

A primeira se chama Banana, Banana é fã incondicional de música chata. Ela se esforça à todo custo pra ir ver shows da Banda do Mar, Cícero e Criolo. Pra ela isso tudo é genial. Um homem com barba mal feita, com um violão, enchendo a porra do saco dos outros num bar é um símbolo da perfeição para Banana. Banana se esforça pra manter essa vida. Não fala dos pais, ignora a postagem da mãe em sua linha do tempo e tudo mais. Se Banana trabalha? Duvido muito. Ela passa a madrugada postando vídeos dessas músicas malas com acessos de uma indescritível felicidade.

O próximo é o Limão. Limão é engajado em muitas causas. Óbvio que atrás do seu computador, em frente a um ar-condicionado. Limão é um aficcionado em livros, disse ter lido vários. E escreve também. Limão critica tudo e todos. É o dono com todas as ações possíveis da razão. Também ignora sua família nas redes sociais. É bem grosso quando responde, inclusive. Limão não aceita estar errado em nenhuma das hipóteses colocadas em questão. Ele sempre tem um comentário a fazer quanto a algo que ele é contra e, quando o que ele é a favor dá errado de forma absoluta, você não o encontra de jeito nenhum.

E a Jaca? A Jaca parece ser uma menina dócil. Amável. Sim, ela é muito amável. Ela diz que ama a todos. Qualquer coisa é motivo pra "eu te amo". Nos últimos três meses mudou seu status de relacionamento em cada um. Todos eles, óbvio, acompanhados com um "eu te amo, vamos ficar juntos pra sempre". Todos seus compartilhamentos tem a ver com amor. Quando não, tem algo relacionado à inveja e ao 'recalque'. Também, assim como a Banana curte essas músicas remelentas. Diz chorar sempre quando lembra de algo que fez no passado e que não queria ter feito. Mas sempre, pro meu divertimento, tem uma historinha nova pra contar.

Tem também a Laranja. A Laranja é comentarista oficial de Realities Shows na internet. Não duvido que ela tenha uma carteirinha disso. Talvez até receba os direitos trabalhistas por fazê-lo. Não há um momento no dia em que ela não esteja comentando olheiras de uma e traições de outro. Eu confesso ter aprendido bastante sobre o assunto através dela. É um serviço à sociedade.

Tem também o Jambo. O Jambo é ativista político influente. Dizem que ele é pago pra fazê-lo. Não sei. Não duvido. Mas eu não duvido de nada nesse mundo, tudo ok. Jambo pra mim é um herói. Conseguiu uma audiência incrível fazendo algo chato pra chuchu. Leva uma bordoada atrás da outra por conta desse seu engajamento político, mas não desiste. Vive em festas e camarotes. Um ídolo.

Obrigado por proporcionar isso, Mark. Obrigado mesmo. Vou ali coçar minha úlcera.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.