15/07/2017 20:58

Hoje eu tentei te evitar o dia inteiro, e pra isso dar certo comecei a fazer uma lista mental de todos os motivos que tornam gostar de você a coisa mais ridiculamente insana que já me aconteceu e porque te querer aqui é uma péssima ideia.

Eu pensei em como você não é confiável, em como eu sou Yin e você Yang e em como não conseguiríamos concordar nem com a cor da parede do quarto de uma criança. Eu sou emocional demais e admito — você é emocional demais e finge ser a pessoa mais racional que já andou sobre esse planeta. Eu detesto como você é sempre tão contido e não demonstra as dores, já você odeia como eu sou impulsiva e digo (quase) tudo que sinto.

O ultimo item da lista é o mais importante: você. Nós somos uma péssima ideia porque você é importante demais. Porque eu sei que, se a gente tentasse, religião, família, cidades… nada estaria ao nosso favor; e nós estaríamos fadados ao fracasso e teríamos arriscado a unica coisa que me mantém sã: exatamente o que temos. Se nós tentármos e falharmos jamais voltaríamos pra onde estamos agora.

E isso me apavora!

É assustador saber que não importa o quanto você não gosta de mim, o quanto tudo que eu sinto jamais será recíproco, o quanto eu queria que fosse. Mesmo se amanhã, daqui seis meses ou um ano até você mudasse de ideia, nós ainda seríamos uma péssima ideia e isso não vai mudar.

Você não me quer e o universo não nos quer. Só eu tenho sentimentos que jamais serão atendidos, compreendidos ou aceitáveis. O fracasso nos alcançou antes que nós pudessemos tentar dar algum passo.

Um dia alguém vai querer, você vai querer de volta e o universo vai achar isso tudo uma ótima ideia. Religião, familia, cidade e sentimentos não serão um problema; talvez sejam até a solução. Você vai casar com alguém que não se importe de nunca ser prioridade e vai sentar na mesma poltrona todo domingo a tarde, vai me mandar uma mensagem no meu aniversário e no Natal, vai achar defeito em todos os caras que eu te apresentar mas vai pensar secretamente em como eu finalmente conheci alguém e talvez tenha te superado e… é isso. Não devemos sacrificar o que temos porque você não me ama e ainda precisa acreditar que me mandar meia duzia de mensagens por ano vai ser o suficiente, e isso é a coisa mais triste que eu já tive que admtir a mim mesma.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Julianna Martins’s story.