Trabalhar como empregado ou ter meu próprio escritório de advocacia?

Trabalhar como empregado ou ter meu próprio escritório de advocacia?

É comum em determinado ponto da atividade profissional do advogado surgir a duvida se é melhor trabalhar como empregado em algum escritório ou ter o seu próprio.

Existem prós e contras em cada uma das escolhas, mas através de uma boa análise financeira e pessoal é possível tomar a atitude certa para unir conforto e estabilidade.

Deve-se levar em consideração desde a experiência profissional até o valor que se tem para investir em um novo negócio. Além da pesquisa de mercado para definir qual é a sua concorrência, outros pontos são fundamentais.

Confira abaixo uma relação com cinco vantagens e desvantagens de abrir um escritório próprio:

1) Ser reconhecido

Quando um advogado começa a sua carreira ele deve definir qual será o seu ramo de atuação, ou seja, com que área do direito prefere trabalhar. Pelo fato de possuir uma experiência restrita até o momento, acaba por não ter muitos clientes fixos, o que pode ser fatal na abertura e manutenção de um escritório.

Nesse caso é mais seguro o advogado trabalhar algum tempo como empregado em uma banca de advogados do que abrir seu próprio negócio, já que ainda não possui seus clientes e nem sua linha de trabalho.

2) Gastos excessivos

Para abrir um escritório de advocacia é preciso ter uma sala em algum centro comercial. O aluguel deste tipo de sala, em boa parte do país, tem um preço alto entre outras taxas como IPTU, luz e condomínio.

Deve-se analisar se é viável à situação financeira atual do profissional para a abertura de escritório próprio.

3) Excesso de trabalho

Quando se trabalha por conta é possível definir uma rotina de trabalho que se adeque a um estilo de vida mais confortável. No caso de quem escolhe por trabalhar em algum escritório, raramente terá essa flexibilidade de horários ou afazeres, tento que fazer audiência todos os dias, além de petições e andamentos.

4) Piso da categoria

Sendo empregado, a empresa/escritório é obrigado a te pagar pelo menos o piso do advogado, o que dá estabilidade financeira para o profissional que está começando a advogar.

É muito comum ver escritórios entrando em falência, pois nem sempre há clientes suficientes para pagar os gastos que ter o próprio escritório tem. É preciso analisar e colocar os fatos lado a lado para, assim, perceber qual é a opção mais segura financeiramente.

5) Arcar com as consequências

No momento da abertura de escritório de advocacia próprio, o profissional deve estar completamente preparado para entender que vai receber das mais diversas e complicadas ações possíveis, por isso é preciso ter experiência para lidar com cada uma delas.

Quando o advogado opta por ser empregado em algum escritório, ele tem a segurança de que, caso exista alguma falha de sua parte, o cliente não sairá totalmente prejudicado, existem outros profissionais para reparar as falhas causadas por desatenção ou inexperiência.

Quais são as suas experiências profissionais até o momento? Você já pensou em abrir um escritório de advocacia e encontrou grandes dificuldades pelo caminho?

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.