A alvorada da nova era

Estamos no alvorecer de uma nova era, onde os primeiros raios solares começam a dissolver toda a escuridão até então dominante em nosso planeta.

Um estado de atenção plena e uma visão global dos acontecimentos são requeridos para a percepção de que estamos vivenciando uma verdadeira transformação alquímica… estamos saindo de uma era de chumbo para entrarmos em uma era de ouro!

A humanidade alcançou um ponto de saturação tal que deflagrou um processo irrefreável que determina o fim de um período, para o começo de outro. Já não é mais cabível vivermos sob a égide do atual sistema, porque este provou-se falido. No entanto, ainda estamos em fase de idealização e construção dos novos modelos de interação humana!

O processo deflagrado é constituído por dois movimentos de mesma direção, mas de sentidos opostos! O primeiro desses movimentos se caracteriza por uma expurgação em massa de toda a negatividade que viemos acumulando ao longo de milhares de anos! Todas as nossas mazelas estão vindo à tona, à luz, para a cura de nossas feridas espirituais. Esse movimento tem uma natureza decrescente… ele eclode e vai perdendo força até a sua extinção, que coincidirá com fim da era de chumbo e a consequente cura da humanidade!

Mas, simultaneamente, há também o segundo movimento em curso, que se caracteriza pelo desabrochar das virtudes humanas, transformando positivamente as nossas relações interpessoais, assim como as nossas relações com este planeta e com todas as formas de vida que ele abriga. Este movimento, reverso em relação ao primeiro, tem uma natureza crescente… ele começa do ponto zero, mas vai ganhando força e robustez até a sua eclosão, que culminará com a instauração da era de ouro, a era da expansão da consciência e da integração cósmica!

Assim sendo, podemos inferir que há uma ordem em todos esses eventos, garantida por uma direção maior, divina! O caos é apenas aparente, basta que tenhamos olhos para ver! O planeta Terra é hoje um canteiro de obras, onde, ao lado de demolições, começam a se erguer paradigmas mais adequados ao novo tempo da humanidade. E todos que aqui estamos, somos convidados a operar essas mudanças. Nós somos os agentes da transformação!!!

Por Jussara Carvalho.

Image: ivoxis / CC0 Public Domain