Julgamento e justiça

Temos que ter muito cuidado com o julgamento! Na maioria das vezes, o que apontamos no outro são reflexos incômodos da nossa própria alma. Além disso, na maioria das vezes também, não temos a menor ideia do karma e do darma que o outro carrega. Mas mesmo assim julgamos rápida e superficialmente, nos esquecendo que cada ser é um universo em si.

Tenhamos, então, o mesmo cuidado que a justiça formal, em seu ideal, apresenta: avaliemos com imparcialidade a acusação e a defesa, contextualizando os fatos! Ou seja… calcemos os sapatos do outro e caminhemos um pouco com eles.

Estamos prontos pra isso? Se não, guardemos as nossas opiniões conosco e reflitamos se não estamos projetando as nossas sombras no outro. Se está sobrando julgamento, certamente está faltando empatia!

Jussara Carvalho.

Image: AJEL / CC0 Public Domain