O que elas tem em comum?

Há poucos dias assisti a dois documentários quais me apaixonei sinceramente. Ambos sobre fotografia, aliás, duas maravilhosas fotografas com personalidades totalmente diferentes, mas tiveram situações parecidas.

FRANCESCA WOODMAN
A jovem Francesca Woodman era uma garota de personalidade forte e com ambição de se tornar uma artista respeitada através de sua fotografia.
Francesca ficou conhecida através de fotografias de auto-retratos e de outras mulheres nuas ou camufladas. Ela vivia escrevendo sobre seu cotidiano seu sentimento pelo último relacionamento em um diário.
Francesca Woodman
VIVIAN MAIER
Esta era uma mulher solitária e de aparência dura. Seu trabalho foi reconhecido após o dia em que John Maloof, participou de um leilão e adquiriu uma caixa de negativos. Estes pertenciam a Vivian Maier, uma desconhecida. John passou a buscar informações sobre a vida e trabalho de Vivian.
Vivian fotografa de forma inteligente. Considerada uma mulher independente trabalhou como babá durante anos em Nova Iorque e nas horas vagas pegava sua câmera e saia pelas ruas fotografando prédios, natureza, pessoas, etc. Vivian não ganhava tinha um trabalho remunerado com a fotografia por isso ela guardava os negativos.
Vivian Maier

O que ambas tem em comum?
Às duas tiveram sua primeira câmera fotográfica dada pelo pai, viveram em Nova Iorque, eram solitárias e ficaram reconhecidas após a morte. Vivian não gostava de aparecer, ela nunca era o foco em suas fotos. Já Francesca, em quase todas as fotografias ela mesma era o foco. Maier não gostava de mostrar o seu trabalho e Woodman queria que fosse visto por todos. Fico imaginando como seria uma obra feita ambas juntam. Imagino que talvez elas tenham se conhecido, ou não, mas fico com esta esperança.

A Morte
Francesca aparentava depressão e através de suas fotos estão tentando descobrir se ela estava passando tal mensagem sobre a doença. Tentou se suicidar, mas os pais interviram, no fim se jogou de um prédio.
Vivian eram durona e sozinha, adorava trabalhar como babá e tirava foto das crianças que cuidava. Através de pesquisas, pensam que talvez tenha sofrido algum abuso sexual e certa forma expressava também pela fotografia. Faleceu de velhice, sozinha em uma lugar onde todos pensavam que ela era uma velha louca.

Woodman
Maier

Ambas as histórias são diferentes, mas com traços em comum. O mais incrível é usar a fotografia para expressão.