Dia a dia de mamãe freelance

Como eu disse no post anterior, eu achava que conseguir estabelecer minha carreira freelance seria meu maior desafio, mas eu não sabia o que ainda estava por vir! rs

Quando eu consegui meus projetos — que contei nos posts anteriores — meus filhos tinham, exatamente, 2 anos e 4 meses e 1 ano e 3 meses. Eles dependiam totalmente de mim, para tudo! E como a razão de eu ter decidido trabalhar em casa era cuidar deles, não fazia o menor sentido eu colocar eles em um berçário. Eu queria — sempre quis — ser mãe!! Eu queria cuidar dos meus filhos, acompanhar cada passo deles! Então eu me vi trabalhando ativamente pela manhã das 8:00 às 12:00 e a tarde das 14:00 às 18:00 e sendo mãe das 6:30 às 22:30 (isto é, de forma ativa… enquanto os pequenos estavam acordados)… Meu dia precisava ter 40 horas e ainda assim seria pouco! Meu dia era mais ou menos assim:

  • Eu levantava bem cedo, cuidava dos pequenos (dava o lanchinho da manhã, banho e essas coisas), arrumava café da manhã para mim e meu marido e às 8:00 eu sentava em minha mesa e começava a trabalhar;
  • Meio-dia eu parava para arrumar almoço para mim e para os bebês — nesse intervalo eu já tinha parado umas 15 vezes para trocar uma fralda, dar uma água, dar um iogurte ou uma fruta, separar uma briga, dar atenção para uma historinha… essas coisinhas de mãe!);
  • Almoçava, dava almoço pros bebês, dava banho e arrumava para o soninho da tarde;
  • 14:00 eu retomava o trabalho e ficava torcendo para que, pelo menos, eles dormissem até às 17:00 (o que raramente acontecia);
  • 18:00 eu encerrava o trabalho — ai eu já tinha feito mais umas 15 pausas para pegar um bebê que acordou, dar um lanche, ouvir uma historinha… mais coisinhas de mãe!);
  • a partir das 18:00 eu tinha que fazer as outras obrigações: dar atenção pros bebês, fazer janta para todo mundo, limpar casa, lavar roupa, passar roupa… coisinhas de mãe, esposa e dona de casa!!! rs

Enfim.. o meu dia era — e até hoje é — bastante corrido! Perdi as contas de quantas vezes trabalhei com criança no colo, de quantas vezes dei um desenho e lápis para sentar ao meu lado na mesa e assim me deixar trabalhar mais um pouquinho…

Mas isso foi o que escolhi para mim: SER MÃE e SER FREELANCE. Não me arrependo nem por 1 segundo destas escolhas. Esses desafios diários só me ensinaram cada dia mais! Me ensinaram a saber me organizar, a saber me planejar, a ter jogo de cintura, ter disciplina e saber desenvolver bem meus papéis, pois quando eu perdia 10 minutos do trabalho sendo mãe, aqueles próximos 10 minutos tinham que valer por 20! E quando eu perdia 10 minutos da maternidade trabalhando, aqueles próximos 10 minutos tinham que valer por 30!!