Quem quer ser prostituta?
Lorena Moraes
122

Sim, nossos corpos não são bens: nossos serviços, sim, são oferecidos. O sistema capitalista prevê, aliás, que todo trabalho é exploração de força de trabalho. Não regulamentar a profissão é permitir que essas trabalhadoras e trabalhadores CONTINUEM trabalhando de forma arriscada. Regulamentar é permitir que elas e eles possam ter acesso a benefícios de todos os trabalhadores: eu, como professora, tenho vários problemas físicos e psicológicos decorrentes do meu trabalho (síndrome de burnout é muito comum à minha profissão). Mas por que a minha categoria tem mais direito que às outras? Pra mim, isso é moralismo. Afinal, o que mais mata mulheres assassinadas nesse país é o casamento: companheiros, ex-companheiros e pretendentes “ciumentos”. Se for colocar na ponta do lápis, mata muito, mas muito mais que essa profissão “de risco”.