A Chegada do Vaga-Lume Rei

No negro manto
Piscam aos montes vaga-lumes
Na noite encanto
Perco todos os meus costumes

Enquanto observo
O vaga-lume rei chegar
Sinto-me cativo, servo
Do brilho do luar

E eis que chega de mansinho
Tirando a prata do caminho
Nem orgulhoso, nem mesquinho

E mais uma vida começa
O incessante piscar cessa
E inicia-se mais uma festa

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.