alvedrio

voltamos a caminhar juntos pela cidade e o pampero faz com que nos assemelhemos muito àquela capa do Dylan, só que mais tristes e desconfiados. o dia amanheceu parado, nada se move, apenas as gentes seguem caminhando porque ainda não se deram conta de como parar. todos os heróis são meio bobos e Buenos Aires sempre parece poesia para quem nos vê de fora. de dentro do coletivo que muitas vezes me levou a ti— parece que tudo sempre começa ou termina em Almagro — uma dupla canta te busco por el centro, te busco y no te encuentro enquanto o Obelisco segue dividindo o horizonte num clichê zombeteiro.