O que levo na bagagem?

Outro dia peguei a minha bolsa Louis Vuitton guardada no canto do armário. Há muito tempo não a usava e achei que neste dia, ela poderia carregar minha bagagem! Estava me arrumando para uma reunião de trabalho e me ocorreu de trocar a bolsa em uso pela de marca famosa!

Coloquei meus pertences na linda bolsa LV e me olhei com o look completo no espelho. Não combinou! Peguei novamente a velha bolsa e enquanto colocava meus pertences de volta, pensei: Por que eu gosto tanto desta bolsa velha? Ela tem estilo, não tem marca. Ela tem umas tachas diferentes para enfeitar, mas algumas dessas tachas já até caíram…não tem problema, acho que é isso que a deixa ainda mais especial. Seus defeitos a tornaram única! Além do mais acho ela versátil e funcional! Agora olho para a linda LV e me pergunto por que a comprei se pouco a uso? Sei lá, talvez tenha comprado numa fase que olhava mais para os outros do que para mim mesma. Talvez ter uma bolsa igual a de todo mundo me desse uma sensação de pertencimento. Talvez a bolsa me aproximasse mais das pessoas, disfarçando minhas inseguranças. Talvez ela me desse um suposto poder de ser igual a muitas mulheres que eu idealizava. Mulheres com bolsas, óculos, relógios, sapatos…todos must have!!! Talvez a bolsa preenchesse um vazio.

Guardei a bolsa LV, junto com os muitos “talvez”, novamente no armário. Agora não há mais vazio, se sentir insegura faz parte! Insegurança é apenas um sentimento e eu posso significa-la como eu quiser. Pode simplesmente ser um sentimento que me dá a oportunidade de aprender algo. Na minha velha bolsa carrego comigo a insegurança, mas sem medo de segurar a minha vulnerabilidade. Porque é essa vulnerabilidade que me levará até a minha própria fortaleza. Eu preciso da insegurança para achar a coragem! Porque não importa com que bolsa eu vá! O conteúdo da minha bagagem é a minha verdadeira marca! Não é a bolsa LV que vai causar estilo. Porque isso não tem nada a ver com modA, mas sim com o modO que eu quero encarar a vida! Não é ter estilo, mas é ser estilo! Um estilo singular e único, com qualidades e defeitos, e isso é o que carrego na minha bagagem, na velha bolsa, não de marca, mas que marca!

E você, o que leva na sua bagagem?