Quando uma situação aparentemente simples te faz questionar o mundo… Quem nunca se sentiu assim?

A fila da cantina talvez não fosse o local mais apropriado para isso, mas, enquanto as pessoas a sua volta gesticulavam e conversavam numa velocidade em que, certamente, só podiam ouvir a si mesmas (elas perguntavam, elas mesmas respondiam!), Alice estava perdida dentro de sua própria cabeça. Já reparou que, às vezes, o mundo faz barulho demais?

Um por um ia deixando a extensa fila, o que provocava certa aflição na menina. A mãe havia comentado que setembro é a época das laranjas, por isso, já fazia vinte e uma manhãs que ela terminava o recreio com alguns gomos na boca. Mas, naquele dia, Alice acordara com vontade de provar o suco de abacaxi. Não que alguém o tivesse recomendado como o melhor suco da cantina, ela apenas tivera essa vontade. Simples assim… E agora o universo parecia jogá-la contra a parede, pressionando-a a tomar uma decisão: Tem certeza de que é isso que você quer?

Mudar podia ser arriscado, mas também havia riscos em fingir querer o mesmo suco todos os dias. Qual fosse sua decisão, tudo o que não é vivido adentra o perturbador campo das hipóteses. Vivemos tentando adivinhar para onde diferentes escolhas nos levariam. Afogamos diante de tantos talvez