Das barrigas do jornalismo brasileiro

Quem já trabalhou com internet sabe: você tem que dar a notícia na hora. Se demorar muito, você não está dando mais notícia, está apenas comentando.

É a partir desse pensamento que nós vemos cada pouco pérolas do jornalismo, como a que aconteceu com o Eduardo Cunha — num momento foi levar a enteada no aeroporto e no outro já estava em Cuba.

Na ânsia de cometer o furo e ser o primeiro a dar a notícia, muitos jornalistas acabam fazendo as famosas barrigadas — notícias que não existem , mas que são publicadas mesmo assim, os conhecidos erros.

Pegando embalo nesta situação, um Tumblr chamado Barrigas 2015 começou a reunir as diversas barrigadas que veículos da grande imprensa estavam fazendo.

No começo achei interessante e de uma certa importância para o próprio jornalismo brasileiro, já que expõe os erros e obriga a consertá-los.

Vendo um pouco mais o Tumblr, ele me chamou atenção por ter muitos erros da área de política. Mas não é nada a se estranhar, partindo da ideia de que a política foi um dos assuntos mais discutidos na mídia brasileira em 2015.

Mas o que realmente me chamou a atenção foi o erro do tweet do jornalista Jorge Bastos Moreno. No Barrigas 2015, dá a entender que ele apoiava o deputado Eduardo Cunha em 2011 e dizia que ele não era ladrão.

Sigo o jornalista no Twitter e estranhei, já que era exatamente esse jornalista que criticava o deputado antes mesmo da maioria da população brasileira saber quem ele é.

Usei a pesquisa avançada do Twitter e encontrei o resto dos tweets do jornalista. Olha só o que diz o tweet seguinte:

O tweet na realidade faz parte de uma série de tweets do jornalista contra Eduardo Cunha, onde o jornalista ironizava as acusações de Eduardo Cunha de que ele estava mentindo.

Pois é, parece que o Barrigas 2015 cometeu uma barrigada, não é mesmo? A real é que ninguém está livre de cometer erros.

Quem nunca, não é mesmo?

O projeto é interessante, a ideia veio num bom momento, mas o problema é a motivação por trás disso.

A ideia não é melhorar o jornalismo em si, mas desacreditar alguns jornalistas e mídias que criticam determinados políticos ou partidos.

Vale pontuar que não estou defendendo jornalistas e veículos que usam o seu poder para manipular informações. O que quero alertar é que é preciso garantir que a liberdade de expressão seja garantida e que os jornalistas possam expor sua opinião. Particularmente, não acredito que um veículo ou jornalista possa ser totalmente imparcial. Acredito que ele possa expor sua opinião e criticar aquilo que acredita estar errado, mas ao mesmo tempo, ele precisa ser transparente quanto à posição política e econômica.

Expor os erros da mídia brasileira ajudará com que as redações tenham mais cuidado e apurem de forma mais contundente as informações que chegam até eles. Mas para expor precisa fazer aquilo que a própria mídia — infelizmente — não está fazendo, isto é, apurar mais ainda.


P.S. 1: Linkei lá em cima, mas acho válido comentar um ótimo texto daqui do Medium que mostrou como os portais se comportaram na hora de falar do erro do Eduardo Cunha. Link aqui.

P.S. 2: Não acho inútil o Barrigas 2015. Ainda acho útil e até me divirto com ele, mas acredito que é preciso olhar com criticidade este Tumblr.