Troco

Me chamou atenção aquela entrada. Pensei que ele ia pagar e ela ia pular a catraca. Engano meu. Os dois passaram por baixo. São um casal. Camila, como ele a chamou, aparentava ter uns vinte e um anos, usava saia e cabelos desgrenhados. O nome dele já não me lembro. De pele escura e camisa listrada, começou a falar. Quando mencionou crise e desemprego, todos prestaram atenção. Senti verdade. Ouvi sua lamentação enquanto olhava em seus olhos. Havia tristeza ali. Ele nos contava sobre seus currículos distribuídos. Quatorze. Nenhuma resposta. A filha em casa, recém-nascida, precisa de leite e fraldas. Procuro em meu bolso e acho o troco da passagem. É tudo que tenho. A moça ao meu lado, que antes estava lendo, para e presta atenção. Acho que o argumento da filha a convenceu. Põe as mãos em sua mochila preta e tira dois reais. Segura o dinheiro enquanto ouve o relato. Atenta. O homem, ao terminar a fala, chama sua mulher. Se despede agradecendo. Um por um. Com as mãos em posição de prece, recebe o que não vai nos fazer falta, mas, certamente, fará diferença para ele.

Like what you read? Give Karlisson Monteiro a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.