É bom pra o currículo, moço(a)!

Quantas vezes você já escutou a pergunta; “faz menino(a), vai ser bom pro teu currículo”? Creio que mesmo não muitas vezes, em algum momento alguém te disse isso, querendo te incentivar a fazer um curso, palestra, intercâmbio ou qualquer outra coisa. Mas será que tudo agrega valor?

O temido Curriculum Vitae :O

Antes de mais nada, por que to falando desse assunto? Recentemente decidi não mais cursar Física, não por falta de amor, mas sim por falta de dinâmica nas aulas e ausência da realidade de mercado na universidade. Após isso, muitos me questionaram (e continuam questionando… oh céus) em relação ao ensino superior. Aquela velha indagação “vais ficar sem ensino superior?” como se essa fosse a única conquista na vida. Quando me dão a chance de falar, logo explico que não parei de estudar, apenas não vou a faculdade porque sinto prazer de estudar em casa! E não me venham os opositores com “ah, mas só na faculdade/colégio é que aprendemos”, sinto tanto prazer de estudar na minha residência que faço diversos cursos online (e também presenciais) de áreas distintas, como citei no meu post passado.

Sim, mas vamos voltar ao currículo.

Vejo muita gente querendo fazer milhares de coisas ao mesmo tempo por dizer que tais coisas agregarão no currículo e precisam de todo jeito. Calma jovem, você já se perguntou se é mesmo um pedaço de papel que define o quão grande pode ser teu conhecimento? Não estou negando a importância de fazer cursos e afins para incrementar, só estou dizendo que você não deveria fazê-los pensando num pedaço de papel, mas sim na experiência que lhe trarão.

Eita, palavra delicada: experiência. Creio que você já passou (ou conhece alguém que passou) por aquele momento de ir procurar emprego e pedirem experiência, sendo que você queria justamente obter experiência hahah. Que situação, Brasil! O que devemos entender é a necessidade de buscar coisas novas, se reinventar. O mercado hoje exige profissionais multidisciplinares e criativos, que não caiam simplesmente na mesmice a qual vivemos. “A vida tem uma regra simples e generosa: você melhorará em tudo que praticar”, Liz Gilbert. Por isso, aprenda tudo que puder, seja o mais completo possível e aos poucos irá aprimorar-se!

Regrinha do Por que

Amo esse gif. Suits é uma série incrível!

Bom, por fim, gosto de falar sobre uma prática que tenho na minha vida: a regrinha do por que. Gastamos muito tempo com coisas desnecessárias por não sabermos escolher uma prioridade ou por termos dificuldade em negar. Tento aplicar o seguinte pensamento: tudo que faço tem que estar ligado, não posso simplesmente exercer uma atividade ao ser influenciada por alguém, preciso entender qual o motivo para cada ação. A partir disso, sempre que vou fazer algo, paro e me pergunto: “Por que?”.

Nossas ações precisam ter sentido, precisam nos engajar! Antes de agir, pense em quê aquilo irá contribuir, seja ao fazer um curso para aperfeiçoar alguma habilidade, uma palestra para se conectar com outras pessoas ou uma saída com os amigos para espairecer. Sim, é fundamental se desconectar as vezes, sair pra relaxar e deixar de lado essa pressão profissional que a sociedade impõe. Afinal, “Viver não cabe no lattes” (desconheço o autor, mas amo a frase. Quem souber, fala aí).

Leitura recomendada: http://blogs.pme.estadao.com.br/blog-do-empreendedor/e-preciso-que-as-faculdades-parem-de-formar-desempregados/