Eu te desejei tudo de bom, disse que você podia ir. Era seu direito, afinal de contas.

Disse que você não precisava se desculpar, não era sua culpa não sentir nada por mim.

Mas eu sei que, no fundo, eu esperava que você voltasse. Desejava que, aquilo que houvera lhe ocorrido fosse algo momentâneo, você não queria partir, você me desejava. Mas nem tudo que eu desejo se torna realidade.

Me forcei a acreditar que eu era aquela pessoa especial na sua vida, em muitas das vezes em que eu chorava, concluía que você voltaria pra mim, eu era a mulher dos seus sonhos, mesmo apesar de você mesmo ter me dito o contrário.

É doloroso acordar todos os dias sem uma mensagem sua, é de partir o coração saber que no final de semana não te terei ao meu lado, me acariciando e me fazendo rir.

As pessoas dizem que a dor de um coração partido logo passa, e eu torço pra isso. Mesmo.

Já são quase dois meses, e ela continua aqui. Apertando, machucando, me relembrando que eu não te tenho mais, e que jamais encontrarei alguém pra te substituir.

Enquanto a profecia do “logo você supera” não se cumpre, eu espero, chorando e lembrando da sua risada, do seu beijo e abraço.

Sinto sua falta.