Sobre marshmallows e determinação para falar inglês fluentemente

Você deve conhecer alguém que já tentou estudar inglês diversas vezes, mas desistiu antes de aprender a falar fluentemente. Nem todo mundo consegue lidar bem com a espera.

Recentemente, li o livro The Marshmallow test a respeito de um experimento feito no final da década de 60 por Walter Mischel, na Universidade de Stanford. A ideia era medir a capacidade de autocontrole e de adiar recompensas. As crianças recebem um marshmallow e uma instrução clara: pode comer o doce imediatamente ou esperar cinco minutos e comer dois doces.

É claro que nem todas conseguiram esperar, mas as crianças que esperaram pela recompensa adotaram estratégias que você pode usar no processo de aprender inglês:

1. “Esfrie” o presente, “esquente” o futuro — As crianças conseguiam “esfriar” a tentação de comer o marshmallow quando pensavam na recompensa futura. Elas se afastavam fisicamente da tentação fechando os olhos ou afastando a cadeira. Da mesma forma, quando você se sentir tentado a olhar o Facebook ou mandar mensagens para os amigos quando na verdade deveria estar focado em estudar inglês… pense no futuro e em como sua vida será quando você conseguir falar fluentemente e com confiança.

2. Adote o plano Se — Então — Sabendo que inevitavelmente muitas tentações (distrações) vão aparecer ao longo do dia, adote a estratégia se-então: “se eu receber alguma notificação do Facebook ou WhatsApp, não vou responder porque estou estudando” ou “se o alarme tocar, eu vou estudar por 20 minutos”. Quanto mais usarmos essas estratégias, mais automáticas elas se tornarão. Mas se para você ficar sem olhar o celular por uma hora é quase impossível, então talvez seja melhor deixar o celular longe durante o período de estudo.

3. Reavaliação cognitiva: não é distração é boicote — É preciso ter em mente que cada vez que nos rendemos às tentações-distrações, nos distanciamos de nossa meta: falar inglês fluentemente (e rápido).

4. Saindo do próprio eu

Muita gente se sente tão ansiosa na hora de estudar, que acaba não conseguindo se concentrar. Acabam sempre reabastecendo a ideia de que inglês é muito difícil, de que nunca vão aprender, e isso só aumenta o estresse e o peso de aprender a língua. Segundo Mischel, “a medida que o estresse aumenta, o sistema quente torna-se cada vez mais dominante” gerando emoções negativas, angústia, consequências psicológicas e aumento do estresse.

Para escapar desse círculo vicioso talvez seja útil observar a situação como se estivesse vendo à distância, “como uma mosca na parede, assistindo ao que acontece com outra pessoa”

“O autodistanciamento reduz a angústia psicológica e biológica e possibilita melhor controle dos pensamentos e sentimentos.”

As distrações são recompensas momentâneas e muitas vezes necessárias. Mas cultivar a capacidade de esperar pode nos garantir uma vaga melhor de emprego no futuro ou (por que não?) mais viagens internacionais.

Vale a pena conferir o resultado do teste aqui neste vídeo:

*Texto originalmente publicado no LinkedIn

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.