BEM-TE-VI

Bem-te-vi,
enquanto está aí, estou aqui,
a produzir os meus papéis na solidão,
sacrificando noite e dia, tal zumbi,
nesta missão.

Bem-te-vi,
enquanto está voando, estou aqui,
acumulando mil papéis em meu colchão,
tão coloridos os animais na impressão,
em extinção.

Bem-te-vi,
enquanto está no sol, estou aqui,
entre paredes de concreto e exploração,
movimentando os recursos naturais,
pro grande irmão.

Bem-te-vi,
enquanto está livre, estou aqui,
a exercer tantos papéis em confusão,
a disfarçar este sorriso por aí,
nesta prisão.