Conseguiria Deus?

Cá estou a tentar dormir, sem êxito, e logo começo a divagar sobre meus pensamentos e problemas não resolvidos. Geralmente coisas que me desafiam a pensar em outras senão possibilidades e soluções.

Certa vez li em algum lugar alguém lançando a seguinte pergunta:

Conseguiria Deus, criar uma pedra tão pesada, mas tão pesada, que nem mesmo Ele conseguiria levantá-la?

Como diria minha esposa: brother, essa é difícil. Percebam, meus queridos, que a questão é uma famosa espada de dois gumes, que tem como finalidade cortar dos dois lados. Explico: se você respondeu com a máxima de que "Deus tudo pode", e que, sim, Ele conseguiria criar tal pedra, pois bem, isso implicaria em também afirmar que Ele não conseguiria levantá-la, logo, Ele não poderia "tudo". Mas se a pedra criada for levantada, então, também significa que Ele não conseguiu criar uma pedra ilevantável.

Quando o problema é muito difícil eu gosto de transformá-lo numa forma mais simples, aplicando analogia sobre algo de fácil assimilação, mudando talvez o que está em questão, mas mantendo a mesma fórmula para tentar aplica-la de volta e concluir o pensamento.

Pois bem, minha reflexão é que este é um experimento de longo prazo e que não tem uma resposta lógica, binária ou de fácil dedução. Para a pedra ser ilevantável, imaginemos que a mesma possui uma unidade de medida de peso infinita, e como já disse Einstein:

Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana.

Já podemos, então, dizer que temos duas pedras ilevantáveis? Vejamos: nem nós, nem Einstein, temos certeza quanto ao universo. E por mais infinita que seja a estupidez humana, ainda assim caberia dentro deste universo, que nem podemos afirmar com absoluta certeza que é infinito. Complicou né? Vamos simplificar? Deixaremos de lado o universo e voltaremos nossa atenção apenas para a estupidez humana.

Sim, meus queridos, Deus tudo pode, nós é que teimamos em aprender as coisas, mais facilmente, da forma mais estúpida possível: errando.

Vamos direto ao ponto em que quero chegar: imaginemos que Deus criou uma pedra chamada humanidade e que a cada pecado, que cada ser humano comete, é acrescentado um quilo ao peso da nossa pedra. Pois é, dá pra imaginar o tamanho da carga que criamos? Ainda que tentássemos calcular apenas durante um século, uma geração ou um dia sequer, mesmo que baixemos o peso do pecado para um grama, não conseguiríamos mensurar o peso da nossa pedra.

Com a nossa estupidez fica fácil compreender o impossível. Nutrimos um ilevantável fardo, que tanto cresce, como ainda é suportado e carregado pela Sua infinita misericórdia.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.