Desculpe o transtorno, preciso falar sobre amor.

Sempre ouço os julgamentos de uma sociedade doente “Fulano achou o 10º amor esse ano!” “Durou só um mês, não era amor!”. Parei para refletir e vi que estamos no século 19 e não no 21. Por incrível que pareça os tempos mudaram você não precisa viver com a pessoa que firmou o compromisso a vida toda, sem ao menos gostar dela. Você pode e deve repensar e ver se vale à pena ficar com alguém que não atende as suas expectativas.

Vivemos em uma sociedade que limita o amor. Quem você deve amar, por quanto tempo, como deve ser e entre outras limitações. Limitar o amor, uma das coisas mais lindas do universo? O amor é cheio de mistérios, curvas, jeitos, sabores, limitá-lo é burrice!

Deixa a pessoa encontrar um, dois, sete, trezentos e sessenta e cinco amores no ano. Aceite ela viver essas experiências até encontrar a pessoa certa. O amor não deve ser medido se foi verdadeiro ou não por pessoas que não estavam no relacionamento, o amor não deve ser medido pelo tempo que as pessoas ficaram juntas, o amor não pode e não deve ser medido por qualquer motivo que seja.

Você não é um fracassado por não ter dado certo com as pessoas que se relacionou, será um se tentar limitar o amor alheio, se você mesmo desistir do amor.

O mais importante é persistir em encontrar o amor certo a você, é ter forças de fazer tudo que se desfez virar adubo para a coragem de amar novamente.