Contra Todos

Um sábado cinza, mais do que aqueles que ele estava acostumado. Ele já não queria mais lidar com pessoas, era como uma proteção para nunca se machucar.

Me diz o que há, o que a vida aprontou dessa vez?

Estava explicito em sua expressão vazia que ele a encontrou e lembrou de tudo que ela foi para ele, lembrou da sensação de ter o mundo nas mãos(o que já não acontecia há algum tempo). Se perguntou no silêncio da noite: “Aonde foi que eu errei?”. Depois de algum tempo pensando, percebeu que a vida finalmente o alcançou e sabia que mais cedo ou tarde isso aconteceria um dia. Sabia que parecia que não havia nada que pudesse fazer exceto uma coisa, mas também sabia que nunca foi bom nessas coisas e que nunca levou jeito para dizer o que precisava ser dito. Desejou por um momento que ela viesse com mau funcionamento e sem garantia assim não haveria como devolve-la mas não era assim que funcionava as coisas.

Depois de um turbilhão de memórias e pensamentos, virou com aqueles olhos verdes tristes e respondeu: “Nem sempre estamos na melhor”