Fourier, eu e você.

Um dos maiores defeitos da sociedade atual constitui a frase: sou de humanas/exatas. Os dois não podem andar separados, uma pessoa de exatas não consegue aplicar suas contas se não for através da perspectiva humana e uma pessoa de humanas, sem a precisão e a clareza com que números falam.

Além disso, a concepção filosófica da natureza e das particularidades das relações interpessoais andam juntos.

O calor é peculiar.

Pense que todos os seres humanos sejam corpos com uma determinada temperatura e que essa represente a sua vida. E assim, como as experiências pessoais vividas entre duas pessoas diferentes são diferentes, cada corpo tem a sua temperatura única.

O calor é trocado quando existe uma diferença de temperatura e, a partir daí, nasce um conceito interessante. O calor não pede para transitar. Ele transita sem pedir. Isto é, a vida das pessoas com quais você interage de alguma forma, influencia diretamente na sua temperatura e vice-versa. A sua autonomia é jogada aos pássaros, sendo a sua temperatura a soma de todas as interações que você já viveu durante sua vida toda.

A troca de calor deixa a concepção mais filosófica ainda. Você troca calor por condução, com as pessoas que você interage diariamente. Você troca calor por convecção com as pessoas que estão no mesmo ambiente que você, mesmo sem uma interação forte. E mesmo longe das pessoas, na solidão de sua cama ou, sei la, na lua, você troca calor por radiação.

Não existe uma forma de não trocar calor. Qual é o calor que você tá emitindo?

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.