Em 2013, depois de uma separação e uma demissão, eu entrei em colapso.
A bipolaridade e o empreendedorismo e como lido com isso
Bru Paese
215

Sério que aconteceu isso com você em 2013? 2013 para mim foi o PIOR ANO DA MINHA VIDA. Uma sexta-feira 13 com 365 dias de duração. Em 2013 perdi meu emprego, minha mãe faleceu de câncer, meu cachorro morreu, minha tia que ajudou a me criar (minha segunda mãe) fez uma cirurgia para remover um tumor, meu (ex)sócio me passou pra trás (que ideia tentar abrir um negócio nessa época), fiquei doente, minha casa destelhou (chuva rancou metade das telhas), fui jubilado da federal, de credor passei a dever mais de 80 mil, tive que pegar dinheiro com agiota para pagar as contas mais básicas, engordei, fiquei doente, minha namorada me abandonou (claro, nessa altura do campeonato ela deve ter achado que eu tinha virado uma espécie pára-raio do mal, virei motivo de piada, não tinha dinheiro nem pra pinga pra tentar esquecer os problemas e de quebra quando chovia, nos quartos não fazia muita diferença se você estava dentro ou fora da casa. Meu colchão ficava estratégicamente posicionado em um cantinho do quarto onde não tinha goteira. Foi um ano punk! Mas passou! Os momentos ruins não vem para ficar, eles passam também.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Kirk Patrick’s story.