Cravo as unhas nas palmas das minhas próprias mãos
Enquanto tudo o que eu sou treme
Já que o abraço.....
(e os seus braços....)

Me agarro e me finco em mim mesmo
E choro a sua ausência

Que dói...

Like what you read? Give Cauí Abacaxi a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.