MMA RanKing #43

Tornar-se um campeão do UFC não é nada fácil. E manter o título está se mostrando tão difícil quanto. As trocas constantes de donos dos cinturões do Ultimate se refletem também no RanKing. Somente dois deles lideram suas respectivas categorias nas listas: Demetrious Johnson (melhor também no peso por peso), no peso-mosca, e Joanna Jedrzejcyk, no peso-palha feminino.

Tyron Woodley cumprimenta o público após conquistar o cinturão meio-médio (Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC)

Para se ter uma ideia, dois novos campeões de julho nem ao menos estavam no top 15 do Ranking. Tyron Woodley saiu do 27º lugar no peso-meio-médio para agora se tornar o oitavo. Eddie Alvarez, no peso-leve, saiu do 28º para alcançar o nono posto depois de destronar Rafael dos Anjos.

O UFC considerou que Woodley merecia disputar o título depois de um retrospecto irregular nos meio-médios: 5–2 nos últimos quatro anos, além de uma inatividade de 18 meses. Foi um caso parecido com o de Alvarez, que vinha de 4–1 em quatro anos antes de receber a chance de desafiar o campeão. São apenas dois casos em que a questão do marketing supera os resultados no octógono. Uma pena.

Uma novidade para este Ranking de julho é que as categorias femininas agora também vão até o top 15 e não mais somente até o top 10. Tomei essa decisão porque as categorias já estão bem estabilizadas e com boas quantidades de atletas. Que venham mais divisões para as mulheres.

Peso por peso

1 — Demetrious Johnson: 2.280 pontos
2 — Jon Jones: 1.400 
3 — Justin Gaethje: 1.370 
4 — Donald Cerrone: 1.245 (posição anterior — 6)
5 — Marlon Moraes: 1.225 (10)
6 — Will Brooks: 1.210 (8)
7 — Daniel Cormier: 1.140 (11) 
8 — Max Holloway: 1.115 (7) 
9 — Conor McGregor: 1.090
10 — Robbie Lawler: 1.085 (5)
11 — Nikita Krylov: 1040 (35) 
12 — Bibiano Fernandes: 1.030 
13 — TJ Dillashaw: 1.030
14 — John Lineker: 990 (23)
15 — Tony Ferguson: 970 (25)
16 — Yoel Romero: 965 (15)
17 — Rafael dos Anjos: 940 (4)
18 — Joseph Benavidez: 935 (16)
19 — Anthony Johnson: 935 (17) 
20 — Ronaldo Jacaré: 935 (18)

Peso-pesado

1 — Blagoy Ivanov: 745
2 — Derrick Lewis: 740 (3) 
3 — Stipe Miocic: 720 (2)
4 — Cain Velásquez: 635 (5) 
5 — Jared Rosholt: 590 (4)
6 — Daniel Omielanczuk: 500 (12) 
7 — Andrei Arlovski: 460 (6) 
8 — Fabrício Werdum: 440 (7) 
9 — Cheick Kongo: 325 (8) 
10 — Ben Rothwell: 315
11 — Rampage Jackson: 305
12 — Shawn Jordan: 295 (17) 
13 — Alistair Overeem: 270 
14 — Alexander Volkov: 250
15 — Matt Mitrione: 230 (18)

Peso-meio-pesado

1 — Jon Jones: 1.400
2 — Daniel Cormier: 1.140
3 — Nikita Krylov: 1.040 (6)
4 — Anthony Johnson: 935 (3) 
5 — Glover Teixeira: 830 (4) 
6 — Liam McGeary: 815 (5) 
7 — Ovince St-Preux: 630 
8 — Phil Davis: 610 
9 — King Mo: 580 
10 — Emanuel Newton: 575 (11)
11 — Corey Anderson: 500 (10) 
12 — Linton Vassel: 480 
13 — Ilir Latifi: 435 
14 — Marcos Pezão: 420 
15 — Jake Butler: 330

Peso-médio

1 — Yoel Romero: 965 (2)
2 — Ronaldo Jacaré: 935 (3) 
3 — David Branch: 915 (4)
4 — Chris Weidman: 880 (1)
5 — Alexander Shlemenko: 680 
6 — Dan Kelly: 650 
7 — Robert Whittaker: 610 (8) 
8 — Elias Theodorou: 610 (9) 
9 — Krzysztof Jotko: 590 (10) 
10 — Michael Bisping: 585 (11) 
11 — Brandon Halsey: 535 (12) 
12 — Derek Brunson: 515 (13)
13 — Luke Rockhold: 495 (7)
14 — Chris Honeycutt: 480 
15 — Magnus Cedenblad: 475

Peso-meio-médio

1 — Donald Cerrone: 1.245 (2) 
2 — Conor McGregor: 1.090 (3)
3 — Robbie Lawler: 1.085 (1) 
4 — Neil Magny: 905
5 — Shinya Aoki: 865
6 — Stephen Thompson: 800 
7 — Andrey Koreshkov: 790
8 — Tyron Woodley: 760 (27)
9 — Michael Page: 755 (*) 
10 — Ben Askren: 755 (9) 
11 — Sean Strickleand: 710 (10) 
12 — Albert Tumenov: 700
13 — Demian Maia: 645 (8)
14 — Warlley Alves: 645 (11) 
15 — Ben Henderson: 645 (13)

(*) Completou os pré-requisitos e entrou no ranking agora

Peso-leve

1 — Justin Gaethje: 1.370 
2 — Will Brooks: 1.210 (3)
3 — Tony Ferguson: 970 (4)
4 — Rafael dos Anjos: 940 (2)
5 — Kevin Lee: 795 (14) 
6 — Beneil Dariush: 780 
7 — Dustin Poirier: 725 
8 — Mairbek Taisumov: 710
9 — Eddie Alvarez: 700 (28) 
10 — Marcin Held: 690 (9)
11 — Gilbert Durinho: 655 (18) 
12 — Francisco Massaranduba: 650 (11) 
13 — Al Iaquinta: 650 (12) 
14 — Léo Santos: 615 (13) 
15 — Johnny Case: 595

Peso-pena

1 — Max Holloway: 1.115
2 — José Aldo: 850 (3) 
3 — Patrício Pitbull: 845 (2)
4 — Daniel Weichel: 715 (6)
5 — Lance Palmer: 600 (*)
6 — Hakeem Dawodu: 580 (13) 
7 — Brian Ortega: 575 
8 — Goiti Yamauchi: 570
9 — Frankie Edgar: 565 (4) 
10 — Dennis Bermudez: 555 
11 — Bubba Jenkis: 510 (12) 
12 — Matt Bassette: 480 (14)
13 — Emmanuel Sanchez: 480 (5)
14 — Darren Elkkins: 450 (20)
15 — Zubaira Tukhugov: 450 (16)

(*) Completou os pré-requisitos e entrou no ranking agora

Peso-galo

1 — Marlon Moraes: 1.225 
2 — Bibiano Fernandes: 1.030 
3 — TJ Dillashaw: 1.030
4 — John Lineker: 990 (5) 
5 — Cody Garbrandt: 875 (4) 
6 — Jimmie Rivera: 815
7 — Urijah Faber: 795 (10)
8 — Thomas Almeida: 700 (9)
9 — John Dodson: 660 (11)
10 — Dominick Cruz: 635 (12) 
11 — Darrion Caldwell: 610 (7)
12 — Rani Yahya: 575 (14) 
13 — Aljamain Sterling: 535 
14 — Raphael Assunção: 475 (8)
15 — Dudu Dantas: 405 (17)

Peso-mosca

1 — Demetrious Johnson: 2.280
2 — Joseph Benavidez: 935
3 — Louis Smolka: 875 (5) 
4 — Henry Cerrudo: 810
5 — Kyoji Horiguchi: 800 (3)
6 — Adriano Mikinnho: 675 
7 — Ali Bagautinov: 595 
8 — Sergio Pettis: 530
9 — Wilson Reis: 510 (10)
10 — Matheus Nicolau: 490 (19)
11 — Justin Scoggings: 440 (12) 
12 — Gianni Subba: 385 (13)
13 — Dustin Ortiz: 360 (14) 
14 — Kairat Akhmetov: 340 (15)
15 — Ray Borg: 300 (17)

Peso-galo feminino

1 — Ronda Rousey: 1.620
2 — Tonya Evinger: 845
3 — Amanda Nunes: 655 (7)
4 — Holly Holm: 585 (5)
5 — Katlyn Chookagian: 580 (*) 
6 — Alexis Davis: 560 (4) 
7 — Bethe Pitbull: 480 (6)
8 — Miesha Tate: 470 (3)
9 — Julianna Peña: 450 (13) 
10 — Pannie Kianzad: 375
11 — Aspen Ladd: 360 (**)
12 — Irene Aldana: 355 (11)
13 — Lauren Murphy: 345 (8)
14 — Valentina Shevchenko: 330 (17)
15 — Germaine de Randamie: 325 (12)

(*) Completou os pré-requisitos para entrar no ranking
(**) Pontuação corrigida

Peso-palha feminino

1 — Joanna Jedrzejcyk: 1.520
2 — Karolina Kowalkiewicz: 720 (5)
3 — Livinha Souza: 720 (2)
4 — Jessica Aguilar: 720 (3) 
5 — Joanne Calderwood: 695 (4)
6 — Alexa Grasso: 645 (*) 
7 — Tecia Torres: 600 (6) 
8 — Jessica Andrade: 535 
9 — Maryna Moroz: 505 
10 — Michelle Waterson: 475
11 — Carla Esparza: 425 (7)
12 — Claudia Gadelha: 385
13 — Mizuki Inoue: 375 (16)
14 — Kaline Medeiros: 360 (13)
15 — Rose Namajunas: 335 (11)

(*) Pontuação corrigida

Veja também → MMA RanKing #42

Abaixo, a descrição dos pontos e bônus:

Disputas de título no UFC, disputas de título dos pesados do Strikeforce e superluta entre campeões do UFC:

- Em caso de vitória: + 200 pontos (+ 50 pontos em caso de finalização ou nocaute)

- Em caso de derrota*: -200 pontos (- 50 pontos em caso de finalização ou nocaute)

* Em disputas de cinturão, o desafiante que for derrotado não perde pontos pelo revés, apenas os pontos relativos ao bônus. No caso de campeão x campeão, o derrotado só terá descontado os 200 pontos se perder o cinturão. Se não houver disputa de título, o valor da derrota é -100 (- o bônus por nocaute ou finalização, se houver).

Disputa de título no Bellator, no Strikeforce, no WSOF, no ONE FC e no Rizin FF:

- Em caso de vitória: + 140 pontos (+ 35 pontos em caso de finalização ou nocaute)

- Em caso de derrota**: -140 pontos (- 35 pontos em caso de finalização ou nocaute)

** Em disputas de cinturão, o desafiante que for derrotado não perde pontos pelo revés, apenas os pontos relativos ao bônus. No caso de campeão x campeão, o derrotado só terá descontado os 140 pontos se perder o cinturão. Se não houver disputa de título, o valor da derrota é -75 (- o bônus por nocaute ou finalização, se houver).

Superluta do UFC (de campeões contra não campeões) e disputa de cinturão interino do UFC:

- Em caso de vitória: + 140 pontos (+ 35 pontos em caso de finalização ou nocaute)

- Em caso de derrota: -100 pontos (- 25 pontos em caso de finalização ou nocaute)

Luta sem título em jogo no UFC e no peso-pesado do Strikeforce (primeiro escalão):

- Em caso de vitória: + 100 pontos (+ 25 pontos em caso de finalização ou nocaute)

- Em caso de derrota: -100 pontos (- 25 pontos em caso de finalização ou nocaute)

Luta sem título em jogo no Bellator, Strikeforce, ONE FC e Rizin FF (segundo escalão):

- Em caso de vitória: + 75 pontos (+ 15 pontos em caso de finalização ou nocaute)
- Em caso de derrota: -75 pontos (- 15 pontos em caso de finalização ou nocaute)

Luta de outros eventos (terceiro escalão):

- Em caso de vitória: + 60 pontos (+ 10 pontos em caso de finalização ou nocaute)

- Em caso de derrota: -60 pontos (- 10 pontos em caso de finalização ou nocaute)

Mais cinco itens importantes:

  • Em caso de empate, o lutador vai receber 50% da pontuação que receberia se tivesse vencido por pontos. Em “no contest” não há pontuação.
  • Para entrar na lista é preciso ter pelo menos quatro lutas seguidas no UFC nos últimos quatro anos ou seis seguidas nos eventos do segundo escalão. Se houver combates intercalados entre as organizações principais e outras menores, vou analisar caso a caso. O mínimo de quatro lutas só não vale para o peso-mosca, pois essa categoria existe há menos de quatro anos nos principais eventos. Entretanto, para entrar no ranking peso por peso, os critérios valem para os moscas.
  • Também para entrar no RanKing, o lutador precisa ter obrigatoriamente 50% dos pontos conquistados no UFC, no Bellator, no Strikeforce, no One FC e no Rizin FF (estes dois últimos só passam a valer como segundo escalão depois que há disputa de título na categoria). Por exemplo, se o atleta fez 200 pontos no UFC (ou nas organizações do segundo escalão) e 700 em outros eventos, a sua pontuação no ranking será 400 (200 do primeiro/segundo escalão + 200 dos eventos menores, descartando 500 pontos que ficariam fora dos 50%). Isso evita um pouco que lutadores que faziam um combate por mês contra atletas de menor gabarito levem vantagem.
  • Atletas que mudarem de categoria só aparecem na nova divisão depois que fizeram uma luta após a troca.
  • No peso-galo e no peso-palha feminino, os eventos top de linha — os que geram pontuação máxima — eram UFC, Strikeforce, Bellator, WSOF e Invicta FC. A partir de janeiro de 2015, somente o UFC gera pontuação máxima. Os demais citados neste parágrafo passam a vigorar como segundo escalão. Para entrar no ranking dessas categorias, basta uma vitória em um dos eventos citados.

Bônus:

- Vitórias sobre lutadores do Top 20 peso por peso rendem mais 50 pontos de bonificação (ou 100 se for sobre o número 1). Vitórias sobre atletas Top 10 de cada categoria valem mais 30 pontos (ou 60 se for sobre o número 1). Vitórias sobre lutadores do 11º ao 15º lugar das divisões geram mais 20 pontos. Só é possível ter um desses bônus, com prioridade para o maior.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.