O Poder das Intenções

Monika von Koss
Jul 3 · 4 min read
Photo by Leo Rivas on Unsplash

Quantas vezes você ouviu como resposta, ao manifestar sua intenção de fazer algo, que ‘de boas intenções o inferno está cheio’? E quem nunca elaborou uma lista de coisas que deseja alcançar a cada novo ano, a maioria das quais vai ficando pelo caminho, para serem incluídas na lista do próximo ano?

Se você é uma das pessoas que realiza as intenções que formula para si mesma, parabéns! Certamente sua vida é plena e realizada.

A vida de cada um de nós é a expressão das intenções que formulamos. Sempre que pensamos, sentimos ou agimos, criamos uma forma para a energia que flui do universo através de nós.

Claro que não basta desejar algo, para que aconteça. Mas, se realmente quero que algo aconteça na minha vida, preciso começar afirmando isto, pois tudo que realizamos tem, na sua origem, uma intenção que põe em movimento a energia da vontade. E é por meio da energia da vontade que realizamos todos os atos necessários, para que nossos desejos se manifestem.

A palavra ‘intenção’ se origina do latim <in+tendere, tensum>, que significa ‘estender-se’ ou ‘alargar-se’. Assim, uma intenção nada mais é do que o ato de ‘estender-se em direção a alguma coisa’. Como uma criança pequena que estica os braços para que alguém a tire do berço, também precisamos esticar nossa consciência, ampliar nosso espaço interior, para alcançar e incluir este algo mais que queremos.

E porque as intenções são tão poderosas? Porque “elas agem como tema ou princípio em nossa vida, guiando cada uma de nossas decisões”, afirma Catherine Wilkins. E quando mantemos uma intenção clara e precisa por um longo tempo em nosso espaço mental, seu efeito é cumulativo e contínuo, mantendo-nos executando todas as ações necessárias para sua manifestação. Em assim fazermos, é apenas uma questão de tempo para nosso desejo se concretizar.

Além de mobilizar nossa energia da vontade, a intenção também ativa as forças universais que, assim, conspiram com nossas atitudes e ações.

Antes de invocarmos as energias do universo para manifestar o que queremos, contudo, precisamos fazer escolhas. O universo não escolhe por nós, ele apenas incrementa o que nós escolhemos.

Acontece que fazemos a maioria das nossas escolhas de forma inconsciente, razão pela qual nem sempre reconhecemos aquilo que acontece na nossa vida como algo que intencionamos. Mas o fato é que nós sempre acabamos recebendo aquilo que intencionamos, quer estejamos conscientes ou não das nossas intenções.

Em The Road Less Travelled [A estrada menos percorrida], Scott Peck afirma que “a totalidade da nossa vida adulta é uma série de escolhas e decisões pessoais”. E isto é verdade, quer façamos as escolhas de modo consciente ou inconsciente. Assim como é verdade que também é uma escolha nossa, quando deixamos outros fazerem as escolhas por nós.

Fazer escolhas conscientes e responsáveis é o caminho para exercermos nosso poder autêntico e criarmos a vida que queremos para nós.

Para que a força da intenção possa atuar, é preciso definir claramente o que queremos obter, eliminando de nossa mente tudo que possa obstruir sua realização. Todos os nossos pensamentos e sentimentos precisam convergir para o propósito que escolhemos. Qualquer pensamento ou sentimento que contradiga ou coloque em dúvida o que queremos realizar bloqueia ou desvia nossa energia, criando empecilhos que se opõem ao nosso propósito. Se uma intenção inconsciente contrária à nossa intenção consciente for mais forte, é esta intenção inconsciente que manifestaremos. Esta é a razão porque muito daquilo que manifestamos é contrário ao que queremos.

Quando temos um propósito, a primeira coisa que precisamos fazer é afirmar nossa intenção de realizá-lo. A energia responde às nossas escolhas, quando as fazemos com comprometimento. Assumir um compromisso é algo poderoso, quando há uma forte intenção por trás. É a nossa intenção que se alia com o mundo, para ativar os recursos necessários à realização do nosso propósito. Mas é o nosso comprometimento com nossa intenção que nos mantêm realizando todos os atos necessários para sua manifestação.

Nossa energia segue o caminho da nossa vontade, a força da nossa mente; portanto, precisamos ser capazes de manter nossa intenção em nossa mente, pelo tempo necessário para que todos os elementos se aglutinem e configurem nosso desejo na realidade concreta. Mas nossas intenções precisam vir da nossa integridade, da nossa essência, do nosso coração. Quando nosso propósito vem da nossa integridade e nosso coração está em harmonia com nossa mente, acontece a manifestação.

Mas a manifestação não é apenas um processo individual. Como escreve Gary Zukav em The Seat of the Soul [O Assento da Alma]

Esta é uma razão a mais para nos tornarmos conscientes de nossas intenções, para poder formulá-las com clareza e sabedoria e em harmonia com nossa integridade. Só assim vamos infundir a luz em formas de vida e convivência que façam jus a quem somos verdadeiramente, Seres de Luz.

Monika von Koss

Monika von Koss

Written by

Sou psicoterapeuta de abordagem energética transpessoal, com longa experiencia em atendimento clínico. A primeira Fractologista graduada da América Latina.