Independência. Acho que essa foi a palavra que a minha mãe mais me disse durante todos esses trinta anos de convivência.

Karina, você precisa estudar para ser independente. Karina, você precisa trabalhar para não depender de ninguém. Karina, se vira, você acha que a mãe é eterna?

Isso foi tão martelado dentro da minha cabeça que, em qualquer momento que eu penso que sou dependente de algo – como do Google Maps nas viagens –, um calafrio me sobe à espinha. Minha mãe minha me ensinou muito. Mas acho que esse valor de ser uma pessoa independe é o que eu tenho de mais precioso.

Se tenho fome, cozinho. Se minha roupa tá suja, lavo. Se precisar passar, eu passo. Mas só se precisar mesmo. Se casa estiver com pó acumulado, eu sei dar um trato que o chão fica brilhando. Pode parecer coisa pequena. Mas isso é o ápice da independência. Se você, meu amigo, não sabe cuidar da sua alimentação, das suas coisas ou da sua casa, saiba que você um escravo da indústria alimentícia e um imaturo que precisa de alguém pra limpar suas sujeiras.

Conseguir organizar meus horários para dar conta dos meus afazeres, e o meu dinheiro, paras meus delírios materiais, é independência.

No momento, vivo a experiência de aprender a falar uma língua nova e conhecer melhor um novo país. Isso é uma descoberta incrível. E é mais incrível porque eu cheguei até aqui com o dinheiro do meu trabalho e por uma vontade própria minha. Escolher aprender francês não foi uma tarefa fácil. Mas foi um grito dentro de mim e contra tudo o que o mercado exige de um inglês fluente. Você poder ouvir seu coração e seguir é independência.

Se sentir bem com você mesmo em qualquer lugar do mundo sem seus amigos ou familiares é independência. Porque eu seu que jamais estou sozinha. Sempre que viajo, levo um colarzinho que a minha mãe me deu. Com ele, vou para todos os lugares. E desse modo levo minha mãe comigo sempre.

E nesse dia das mães só tenho a agradecer a minha d. Marisa por me dizer sempre que eu deveria ser independente. Merci, mère. E eu sei que a minha mãe se sente muito tranquila e feliz por saber que ela criou uma filha para o mundo e que se vira em todas as situações. Eu imagino que esse deve ser o ápice da independência das mães também.

Joyeux fête des mères. Je t'aime. ❤️