Pelo direito de sermos humanas
Andressa Faria de Almeida
1504

Que texto forte e emotivo, Andressa! Muita coragem sua compartilhar tudo que há aí!

Bonito, ainda, o tom de perdão com que você fala sobre sua mãe. Somos humanas e fadadas a erros, muito bom você lembrar isso!