Hoje senti falta de nós

Não escrevemos anos de história, não nos casamos e tivemos filhos, não viajamos juntos ou dançamos na chuva, mas hoje senti falta de você, falta de nós.

Venho tentando viver no clichê de preencher a sua falta, procurando qualquer sinal de você em outras pessoas, tentando achar graça em outra pele com seu perfume, vasculhando em outros olhos claros o encanto dos seus e ficando atenta a um novo som favorito que não seja sua voz.

Finjo que gosto de sair com caras que não são você para os meus amigos acharem que já te esqueci por completo, digo logo de passagem que estou fingindo bem, mas só eu sei como é frustrante saber que ainda não encontrei “os milhões de caras como você” igual falaram que existiam no mundo, no meu mundo você ainda é único de uma forma muito única.

Não sinto só a sua falta: sinto falta de mim e do quão verdadeira eu era perto de você, das nossas brincadeiras, nossas risadas às 2 da manhã, do futuro que nos aguardava (o que eu achava que aguardava), sem contar do formigamento bom que tudo isso me causava.

Ando tentando viver de amor próprio e te excluindo da minha vida, não tendo mais ligações com nada que remeta a nós.

No entanto me pego vendo nossas fotos, buscando incansavelmente reviver nossas histórias nas minhas lembranças e olhando suas redes sociais (mesmo tendo te excluido de todas).

Queria de novo aquele sorriso no meu rosto que instantaneamente aparecia quando a janela da conversa abria, te contar das coisas engraçadas que fazia quando era uma mini Laila, das dores que passei ao longo da vida, de ouvir suas histórias, de te contar de como mudei meus gostos pra filmes desde que se apareceu e de como viciei na sua música favorita.

Aquele êxtase todo passou e só restou agora a lembrança com umas pitadas de dor.

O pior é que eu te amo mesmo depois de tudo, por mais que queria apagar isso de mim e seguir em frente ainda sinto falta de nós.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.