O despertar dos sinos do vento.

Vai depender do vento, do momento, do mestre tempo. Nós nunca saberemos a hora certa do sentir. É preciso ouvir a si. Aquela voz que nos acompanha dia após dia. Ao nascer do luar, sobre a luz do mar e há quem diga que a conexão não passa de ilusão.
Tratando-se de eu e você eu prefiro dizer que há uma doce razão para nos tocar, nos aproximar e ter um novo caminho a trilhar.
É tempo de maturança, pois ainda carregamos dentro de nós a esperança de um dia voltarmos a ser criança.

Like what you read? Give Laísa Costa a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.