eu queria cuidar dela. queria que não soasse tão estranho pedir para cuidar dela. para defendê-la. queria que ela soubesse o quanto eu fiquei com raiva quando soube que certa amiga foi rude com ela. coisa boba, mas eu queria ter defendido.

essa coisa de querer cuidar dela se agravou quando eu soube de coisas da vida dela que o sorriso dela não deixa transparecer. quem diria que aquela garota que vive sorrindo para todo mundo e tentando manter todo mundo em paz passa por tanto perrengue? quem diria? queria dividir com ela esse peso que ela nem reclama de carregar.

eu nem posso deixar ninguém saber que eu gosto dela dessa forma, que eu a quero dessa forma. eu disse que não ia gostar dela, gostei. eu disse que havia passado, e passou, mas voltei. a querer ela e a querer cuidar dela. ser mais do que aquela amiguinha que tá na sombra de todos os outros amigos. ser realmente alguém na vida dela. qualquer coisa que seja, desde que seja importante, da mesma forma que ela é pra mim. essa reciprocidade seria tudo pra mim. valeria mais do que um beijo, mais do que uma vida inteira.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.